Nzuzi Sebastião deixa presidência da Federação de jiu-jitsu

O presidente da Federação Angolana de Jiu- Jitsu, Nzuzi Sebastião, revelou, ontem, a OPAÍS, que não se recandidata ao caldeirão máximo do órgão reitor da modalidade, tendo em vista o ciclo olímpico 2020/2024.

Nzuzi Sebastião explicou que quer descansar, estar mais com a sua família e refletir sobre a sua vida. O responsável federativo disse que é momento de dar oportunidade para outras pessoas que almejam conduzir os destinos do jiu-jitsu. Nzuzi Sebastião assegurou que vai deixar a Federação com o dever cumprido, mas reconheceu que não conseguiu concretizar tudo o que traçou quando chegou à presidência deste órgão.

O nosso entrevistado revelou que investiu muito para o desenvolvimento do jiu-jitsu, porém, não teve o retorno que esperava. “Muitos associados sabem que durante os meus dois mandatos fiz  muito por este desporto”, disse. Aliás, o dirigente lembrou que tudo o que fez foi por amor à modalidade. Nzuzi Sebastião lamentou o facto das academias ainda não terem realizadas as eleições de renovação de mandato, porque alegam que o registo criminal está muito caro. “Segundo a informação que recebi dos associados, tratar o documento supracitado está a custar sete mil kwanzas.

Este valor, muitos dizem que não têm, face ao actual momento que o país atravessa”. Mesmo sem data aprazada para eleger um novo presidente, Nzuzi Sebastião desejou sucesso e que possa dar sequência do legado que deixa. “Espero colaborar com o próximo responsável da Federação Angolana de Jiu-Jitsu, porque durante estes anos adquiri muita experiência e para o bem da modalidade estarei sempre disponível para qualquer solicitação”, garantiu. Bié, Cuanza-Norte, Luanda, Namibe, Uíge, Cabinda, Malanje e Zaire são as províncias que movimentam este desporto de luta no país.

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!