UNITA acusa Governo de negligência pelos dois casos positivos de coronavírus

Para o partido, à semelhança de outros países, Angola deveria ter cancelado a entrada e saídas de voos e esses dois casos não se teriam registado. Nesse momento, o país estaria livre do Coronavírus que, pelo mundo, já fez milhares de mortos

O primeiro vice-presidente do Grupo Parlamentar da UNITA, Maurílio Luiele, disse que os dois casos positivos de Coronavírus que o país registou, no dia 21, devem-se a uma negligência das autoridades sanitárias, situação que, no seu entender, poderá comprometer a imagem de Angola dentro do conjunto das acções mundiais que estão a ser levadas a cabo com vista ao combate à doença.

De acordo com o político, houve uma quebra nas medidas de prevenção e de combate ao Coronavírus, sobretudo na questão da condição de quarentena, em que se abriu para a domiciliar, constituindo uma porta aberta para a propagação do vírus. Maurílio Luiele explicou que, inicialmente, o Governo, por via da Comissão Nacional de Combate à Epidemia, havia estabelecido que todos os casos suspeitos deviam ser encaminhados para os locais de quarentena criados para o despiste e testagem do vírus.

Porém, por razões desconhecidas, frisou, o Governo decidiu, nos dias 17 e 18, liberar um grupo de passageiros provenientes de Portugal, país onde se regista um número elevado de casos da pandemia, permitindo que os mesmos pudessem ficar em quarentena domiciliar. No seu entender, à semelhança de outros países, se Angola tivesse cancelado a entrada e saídas de voos, esses dois casos não teriam sido registados e, neste momento, estar-se-a livre do Coronavírus, que, pelo mundo, já fez milhares de mortos. Para Maurílio Luiele, as medidas de prevenção e combate à epidemia devem ser sérias, implacáveis, irreversíveis e extensivas a todos os cidadãos, indeGovernador pendente da sua proveniência ou condição social. “E não nos parece que houve, de facto, seriedade nas medidas tomadas.

Houve negligencia, porque não se cumpriu o que se programou e algumas acções foram tomadas tardiamente”, frisou.

Reforço das medidas

Todavia, apesar de a situação ser preocupante, face aos dois casos registados, Maurílio Luiele defende o reforço das medidas de prevenção e de combate, de forma a se evitar que mais pessoas venham a ser infectadas com o vírus, que, na visão do partido, representa um perigo para a estabilidade social e económica. “Não há mais nada a fazer que não passa pelo reforço das medidas de controlo, prevenção e de combate. É um momento difícil para todos nós, mas se houver vontade, disciplina e rigor nas acções e nas medidas tomadas, poder-se-á vencer o vírus”, apontou.

error: Content is protected !!