2060 casos confirmados e 23 mortes em Portugal por Coronavírus

de acordo com o último boletim da dgS, há ainda 14 casos recuperados. Há mais 460 pessoas infectadas com Covid-19 do que no domingo

Diário de Notícias

Portugal tem 2060 casos de Covid-19. Foram confirmados até ontem e estão indicados no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), desta Segunda-feira (23 de março). Há 23 mortes. São dados até às 24:00 de Domingo. São mais 460 casos, um aumento de quase 29 por cento em relação a Domingo, quando se registaram 1600 doentes infectados com Covid/19. De acordo com o último boletim da DireçãoGeral da Saúde (DGS), registam-se ainda um total de 13 674 casos suspeitos (desde 1 de Janeiro). Há ainda 10 212 casos não confirmados e 1402 aguardam resultado laboratorial.

A DGS revela que há 201 doentes hospitalizados e destes são 47 os que estão em unidades de cuidados intensivos. O maior número de casos continua a registar-se no Norte do país, com 1007 casos, na região de Lisboa e Vale do Tejo registam-se 937. Esta Segunda-feira, na conferência de imprensa habitual, a diretora-geral da saúde anunciou que a DGS vai começar a publicar informação sobre a localidade dos doentes infectados Com covid-19.

Foi também revelado que há um total de 165 profissionais de saúde infectados, dos quais 82 são médicos, 37 enfermeiros e os restantes são auxiliares técnicos ou operacionais, disse o secretário de Estado de Saúde, António Sales. Sobre as cadeias de transmissão, Graça Freitas afirma que estão a ser triadas milhares de pessoas e há 12 mil cidadãos em vigilância, o que exige um esforço grande da DGS anun
ciou que “Queremos ser mais transparentes e dar mais informação; Dentro de dias, isso vai acontecer.” Além de Ovar, há outras localidades que podem ter transmissão comunitária, admitiu.

Sobre a partilha de dados pedida pela comunidade académica e científica, a DGS diz que já há partilha com algumas instituições e admite que essa partilha pode ser alargada. “A regra geral é de dar, é de transparência.”

“Não sabemos a duração da imunidade” No Domingo, a diretora-geral da saúde referiu-se ao decréscimo dos últimos dias das taxas de crescimento do número de infectados em Portugal, mas considerou que este “comportamento não-explosivo” não oferece condições para fazer antecipações sobre o contágio por tratar-se apenas “uma curva precoce de três dias”. Adiantou que a imunidade dos doentes que já recuperaram é uma questão sem certezas: “Tudo indica que há imunidade na maior parte dos casos, mas não sabemos a duração dessa imunidade.

Nos futuros meses e anos vamos ter de testar muitas pessoas para perceber isso”, disse Graça Freitas. O novo coronavírus já infetou mais de 308 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 13400 morreram. Depois de surgir na China, em Dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. Em Portugal, há 14 mortes e 1.600 infeções confirmadas. Portugal encontra-se, aliás, em estado de emergência desde a meia-noite de Quinta-feira e até às 23.59 horas de 2 de Abril.

error: Content is protected !!