Novas recomendações contra tuberculose podem salvar milhões de vidas

Dia Mundial de Combate à Tuberculose foi assinalado neste 24 de Março; a doença mais infecciosa do mundo causou 1,5 milhão de mortes em 2018 e contaminou 10 milhões de pessoas

A Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou novas directrizes para ajudar os países a combater a tuberculose. Neste Dia Mundial de Combate à Tuberculose, a agência da ONU pediu medidas que possam diminuir a marca de 10 milhões de casos. A OMS estima que um quarto da população mundial esteja infectada com bactérias da tuberculose. No entanto, essas pessoas não estão doentes nem contagiosas, apenas correm maior risco de desenvolver a doença.

Em 2018, um milhão e meio de pessoas morreram de tuberculose. Em nota, o director-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, disse que o novo Coronavírus “está a destacar o quão vulneráveis são as pessoas com doenças pulmonares e sistemas imunológicos debilitados”. Tedros também afirmou que programas de combate à tuberculose e a outras doenças infecciosas podem ser aproveitados para tornar o combate ao Covid-19 mais eficaz e rápido.

Compromisso

O chefe da OMS lembrou o compromisso de erradicar a tuberculose até 2030, dizendo que para isso é essencial melhorar a prevenção. Ele diz que “milhões de pessoas precisam de ter acesso a tratamentos preventivos para interromper o desenvolvimento da doença, evitar o sofrimento e salvar vidas”. Líderes de todo o mundo assumiram o compromisso de fazer chegar tratamentos preventivos a pelo menos 24 milhões de pessoas com tuberculose e 6 milhões de pessoas vivendo com VIH até 2022.

A tuberculose continua a ser a principal causa de morte entre seropositivos. Apesar desse compromisso, até o momento, apenas uma fracção dessa meta foi atingida. Em 2018, cerca de 1,8 milhão de pessoas com tuberculose tinham acesso a tratamentos preventivos.

Dia Directrizes

As novas diretrizes da OMS recomendam uma variedade de abordagens. As populações de maior risco, por exemplo, como pessoas que lidam com pacientes e outras com baixa imunidade, devem ter prioridade nos tratamentos preventivos. Outras recomendações incluem métodos de prevenção mais curtos, que aumentam as chances de as pessoas cumprirem o processo. Em nota, a diretora do Programa Global de Tuberculose da OMS, Tereza Kasaeva, disse que “as novas orientações mostram o caminho a seguir para que milhões tenham acesso rápido a novas ferramentas e opções mais curtas e seguras.”

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!