Angola suspensa por sete análises

O país conhecerá hoje os resultados de sete análises de Covid-19, realizadas pelo instituto nacional de investigação em Saúde, cuja colecta de sangue foi a igual número de indivíduos que estiveram expostos ao contágio do vírus no exterior, anunciou ontem, em Luanda, o secretário do estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Franco Mufinda, secretário do estado para a Saúde Pública

Durante a apresentação diária do balanço epidemiológico do país, em África e no mundo, no Centro de Imprensa Anibal de Melo, o governante fez saber que até ontem não tinham sido registados novos casos de Covid-19. Neste contexto, o país continua com os três casos positivos anunciados, dois no passado dia 20 e o último no dia 22 do corrente mês.

Franco Mufinda alertou, sobre pandemia do Covid-19, que o risco continua muito alto, em termos de transmissão a nível do mundo. “Já processamos 176 amostras, contando com os casos positivos que já foram referenciados. Neste momento se encontram em processamento sete amostras de que poderemos ter acesso aos resultados amanhã [hoje]”, garantiu.

No que tange aos eixos de gestão de casos e de alguns constrangimentos observados, sobretudo, a hospedagem dos passageiros no Centro de Quarentena de Calumbo II, esclareceu que já estão ultrapassados e que uma boa parte dos passageiros, cerca de 90, foram alojados no Hotel Viana. Entretanto, estão neste momento com 466 pessoas a ser acompanhadas em quarentena institucional, sendo que as acções de informação, educação e comunicação sobre a doença continuam.

O secretário do Estado para a Saúde Pública contou que decorre a formação de profissionais de saúde sobre comunicação e biossegurança para poderem gerir eventuais casos. “Estamos a falar de uma biossegurança de nível três e quatro e outros aspectos da gestão de casos”, frisou. Explicou ainda que estão a acompanhar as actividades a nível das demais províncias onde de forma autónoma também podem observar bastante adesão das pessoas na observância da quarentena domiciliar.

Voltou a apelar ao bom senso das pessoas no sentido de observarem as medidas básicas de higiene, como a lavagem das mãos frequentemente, desinfectar as mesmas com álcool gel, evitar aglomerações e alguns hábitos culturais que não são salutares neste momento. Franco Mufinda esclareceu que a Comissão Interministerial continua a elaborar as directrizes e instrutivos para orientar as unidades sanitárias na gestão de casos.

A nível mundial, até ontem foram notificados mais de 370 mil casos com um acumulado de mais de 16 mil óbitos, sendo que em África mais de 1300 casos foram reportados, com 26 óbitos. De realçar que os três casos positivos são cidadãos nacionais com idades compreendidas entre os 23 e os 38 anos, que regressaram recentemente ao país, com passagem por Portugal nos dias 17 e 18 do corrente mês. Entretanto, o novo Coronavírus, responsável pela pandemia do Covid-19, continua a alastrar-se por todo o mundo e a ceifar vidas. O surto começou em Dezembro de 2019, na China.

error: Content is protected !!