África do Sul regista segunda morte por coronavírus, enquanto infecções saltam para 1.280

Os casos confirmados de coronavírus na África do Sul aumentaram de 93 para 1.280 pessoas no Domingo e o número de mortos duplicou, segundo o Ministério da Saúde, quando o país entrou no terceiro dia de um bloqueio nacional e as autoridades anunciaram novas medidas para lidar com as consequências económicas

Autoridades de saúde sul-africanas disseram que o homem de 74 anos de idade, na província de KwaZulu-Natal, no sudeste do país, foi diagnosticado há dois dias  depois de apresentar sintomas semelhantes aos da gripe e já ter câncer de pele. A África do Sul entrou num bloqueio de 21 dias, na Sexta-feira, com as pessoas confinadas às suas casas e a maioria das empresas fechadas. O presidente Cyril Ramaphosa havia declarado, oficialmente, a existência de 112 pessoas que estavam em quarentena num resort remoto, por duas semanas, depois de serem repatriadas de Wuhan, na China, onde o coronavírus começou, com todos os testes negativos e livres para voltar a casa. Por outro lado, as autoridades do Tesouro disseram, no Domingo, que estavam a considerar entrar em contacto com o Fundo Monetário Internacional para receber fundos de emergência para combater o surto, o maior até agora no continente e que alguns especialistas temem que possa sobrecarregar o sistema de saúde já precário. O Tesouro disse que também está a introduzir um subsídio de imposto de 500 rands (USD 28), por mês, por trabalhador, para os empregadores nos próximos quatro meses, de modo a amortecer as perdas financeiras sofridas pelas empresas causadas pelo coronavírus.

error: Content is protected !!