Covid-19: ACNUR enaltece medidas de Angola

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) enalteceu, nesta Terça-feira, as medidas de prevenção adoptadas pelo governo angolano, para conter a propagação da pandemia da Covid-19

Angola observa, desde 27 de Março, um regime de Estado de Emergência, decretado pelo Presidente da República, com vista a confinar a população e diminuir os focos de contaminação no país, que já registou sete casos positivos, dos quais duas mortes. Na última Segunda-feira, as autoridades sanitárias anunciaram que o paciente zero (primeiro a ser detectado com Covid-19) está recuperado e deve receber alta nos próximos dias. Os outros qua tro pacientes seguem estáveis, em termos clínicos. Segundo o Alto-comissário do ACNUR, Filippo Grandi, o país tem seguido, com rigor, as recomendações da Organização Mundial da Saúde, em termos de prevenção.

Considera que a pandemia é um desafio global que deve ser enfrentado por meio da solidariedade e cooperação internacionais, tendo reiterado o apoio do ACNUR às autoridades angolanas, no fornecimento de baldes com torneiras e material informativo. Encorajou o governo angolano a prosseguir com as medidas adoptadas e a reforçar as campanhas de sensibilização e/ou instruções sobre as medidas de prevenção nas comunidades, para evitar, de facto, a propagação da pandemia. O ACNUR controla no assentamento do Lóvua, Lunda-Norte, 6.169 refugiados da República Democrática do Congo (RDC). Actualmente, o número de cidadãos em quarentena na província da Lunda-Norte é de 37, sendo dois institucionais e 35 domiciliares.

error: Content is protected !!