Mais de 200 denúncias de violação de quarentena domiciliar num dia

O balanço das últimas 24 horas sobre o Covid-19 em Angola dá conta de zero casos positivos da doença e de nenhuma morte. Noventa amostras deram negativo e os cidadãos poderão receber alta nas próximas horas. Entretanto, segundo o secretário de Estado da Saúde, Franco Mufi nda, o serviço 111 recebeu, num dia, 219 denúncias de cidadãos que violaram a quarentena domiciliar

Por:Romão Brandão

São sete casos confirmados, dos quais óbitos, bem como um recuperado do Covid-19, segundo o último balanço apresentado, ontem, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, por Franco Mufi nda. Deste número, quatro doentes continuam estáveis. Foi feito um rasteio de 90 amostras no Centro de Quarentena do Calumbo e todas elas foram negativas, facto que levará a que se programe a saída destes cidadãos do centro nas próximas 24 horas. “Foram feitas no CISP 444 chamadas, das quais 36 foram de alerta de casos suspeitos de Covid-19, sendo que deste número 31 foram descartados, cinco investigados, três validados e encaminhados às unidades sa nitárias. Cinquenta e três pessoas foram monitoradas em quarentena domiciliar e dos casos suspeitos e registou-se 219 denúncias de violações de quarentena domiciliar”, disse.

Prevista para hoje, uma equipa integrada do Ministério da Saúde, de vigilância epidemiológica e vigilância laboratorial e gestão de casos fará uma deslocação às províncias do Namibe e Cunene para fazer a formação dos profi ssionais de saúde e também observar o estado de resposta nestas províncias. No país, estão em quarentena 1802 pessoas, divididas em 5 pessoas no Bengo, 135 em Benguela, 5 no Bié, 117 em Cabinda, 233 no Cunene, 25 no Huambo, 33 na Huíla, 9 no Cuanza-Norte, 15 no Cuanza-Sul, 1010 em Luanda, 34 na Lunda-Norte, 5 na Lunda-Sul, 8 em Malanje, 12 no Namibe, 153 no Uíge e 3 no Zaire. “O Hospital do Prenda poderá, nos próximos tempos, deixar de prestar serviços a outras áreas para se dedicar aos eventuais casos de Covid-19, para além do Hospital Américo Boavida, que está a preparar uma área para receber também estes pacientes”, disse Mufi nda. Ainda no âmbito do apoio a eventuais pacientes de Covid-19 na cidade capital, pretende-se reactivar o centro de tratamento de casos epidemiológicos que deu apoio à gestão de casos de cólera, do Hospital Sanatório, bem como no Hospital Pediátrico foi libertado um espaço para eventuais casos de crianças

error: Content is protected !!