Analista considera benéfico corte e fusão nos ministérios

O director-geral da ADRA , Carlos Cambuta, enalteceu, ontem, em Luanda, a medida do Governo angolano de efectuar cortes nos ministérios, passando de 28 para 21 departamentos ministeriais

Por:Neusa Filipe

Carlos Cambuta disse que o referido corte e a fusão de ministérios representam um sinal positivo no quadro da melhoria da administração pública. Referiu que essa fusão vai permitir uma maior eficiência e eficácia no funcionamento da administração pública, permitindo ainda maior articulação entre os departamentos ministeriais. Para o analista, as vantagens dessa fusão passam pela melhoria da comunicação institucional e implementação dos planos de acção de forma articulada. “Isso vai permitir também racionalizar os recursos, até porque a principal motivação que esteve na base dessa fusão tem a ver com o actual contexto económico, que não é tão favorável, e, nos próximos tempos, a situação tende a piorar”, disse. Salientou que a medida do Governo foi positiva, no sentido de emagrecer a administração pública e ao mesmo tempo torná-la mais funcional. “As duas principais vantagens, são a coordenação institucional e a redução de despesas”, avançou.

Revisão do OGE Sobre a revisão do Orçamento Geral do Estado (OGE) para o exercício económico de 2020, Carlos Cambuta defendeu que, no processo dessa revisão, a maior atenção deve ser dada aos sectores mais estratégicos, tais como a agricultura, sobretudo a agricultura familiar, e ainda a outros como os da Saúde, Educação e Justiça. Recentemente, o Executivo fundiu anunciou a fusão dos ministério da Defesa com o dos Antigos Combatentes, Ministério da Cultura com o Ministério da Hotelaria e Turismo, Ministério dos Transportes com o das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, ministério da Agricultura e o das Pescas, Ministério do Comércio com o Ministério da Indústria, e o Ministério das Obras Públicas com o Ministério do Ordenamento do Território.

Em declarações à imprensa, no final da sessão do Conselho de Ministros, Vera Daves sublinhou que, com a fusão, os ministérios passam a ter dupla designação, como, por exemplo, Ministério da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria, bem como Ministério da Agricultura e Pescas. Intactos ficaram os ministérios das Relações Exteriores, da Economia e Planeamento, das Finanças, da Administração do Território e Reforma do Estado, da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, bem com da Justiça e dos Direitos Humanos. Permanecem, igualmente, os ministérios da Energia e Águas, da Educação, da Comunicação Social, da Saúde, do Ensino Superior, Ciência e Inovação, da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, bem como da Juventude e Desportos.

error: Content is protected !!