Covid-19: ACNUR quer inserção de refugiados nos programas de saúde nacionais

Para contenção do novo Coronavírus, o ACNUR, Agência das Nações Unidas para os Refugiados, tem trabalhado com os seus parceiros nacionais e internacionais para assegurar maiores cuidados aos refugiados em Angola. Num comunicado enviado hoje, 2 de Abril de 2020, informam as acções em curso no país.

 

Em mais de 130 países, o braço da O.N.U. para protecção dos refugiados, ACNUR, está engajado em conseguir melhores parcerias no ramo da saúde para a camada social que assiste, começando justamente pela pandemia Covid-19.

De acordo a Filippo Grandi, Alto Comissário do ACNUR, “há uma necessidade urgente de incluir refugiados nos planos e sistemas de saúde nacionais, através de sinergias com agências da O.N.U.”, lê-se na nota de imprensa.

Em Angola, esta acção está centrada na província da Lunda Norte, na localidade do Lóvua, onde existe um assentamento para refugiados. A principal premissa é garantir a ausência de infectados por Covid-19 no seio da população protegida, e equipas do ACNUR. Para tal, “solidariedade e cooperação internacionais” são palavras de ordem.

Trabalhar com a comunidade

No município do Lóvua, o ACNUR tem estado a cooperar com as autoridades na distribuição de informação, para alertar a comunidade sobre a pandemia Covid-19 e as formas de protecção contra a mesma. Por terem jornalistas na população refugiada, estes estão ao encargo da dissiminação informativa radiofónica local, uma forma de estarem permanentemente envolvidos no combate ao novo Coronavírus, relembrando a profissão exercida nos seus países de origem.

De outro modo, os Medicos del Mundo, parceiros do ACNUR, responsáveis pelo sector de saúde, formaram grupos de profissionais actuantes naquela região, que, por sua vez, passaram a instruir a comunidade.

Porque a higienização das mãos é fulcral na prevenção, impedindo a difusão da doença, o abastecimento de água potável no centro de assentamento foi reforçado em vários pontos espalhados para lavagem das mãos com sabão.

Assim, cumprindo com o programa preventivo desenhado pelo ACNUR, a clínica do espaço foi alargada, tendo agora a possibilidade de isolamento dos pacientes com problemas respiratórios graves, porque são um grupo vulnerável perante o Covid-19.

O Pais

Deve ver notícias

error: Content is protected !!