Cunene: cidadãos escapam-se da quarentena levantando suspeitas de tráfico de influência

Alguns cidadãos que se encontram em quarentena na cidade de Ondjiva, província do Cunene, desde o dia 20 do mês passado, denunciam a existência de supostos casos de tráfico de influência nos casos suspeitos rastreados na fronteira da Santa Clara nos últimos dias

Por:João Katombela, na Huíla

Segundo a fonte deste jornal, no dia em que chegou à fronteira da Santa Clara, sede do município de Namacunde, presenciou a saída de algumas pessoas com as quais estava para entrar em quarentena, incluindo um general das FAA, sem explicação plausível das autoridades sanitárias. Eram cidadãos provenientes da Namíbia e da África do Sul. Avançou que as viaturas em que se faziam transportar os “evadidos”, a partir destes dois países para o território angolano, não foram vistas a chegare ao centro da quarentena onde se encontram os demais.

As declarações da fonte cruzam com a de Chissola Fialho, outra cidadã que está também a cumprir a quarentena na Casa da Juventude, que confirma a denúncia da sua “vizinha de ocasião”. “A partir da fronteira saímos com vários carros que não estão aqui na Casa da Juventude, nem mesmo na escola, onde está a outra quarentena”, afirmou. Disse ter questionado a Polícia Nacional que está a fazer o asseguramento da quarentena da Casa da Juventude sobre o paradeiro das demais pessoas, de quem obteve a resposta de que nenhum escapou do isolamento obrigatório. Inconformada com a resposta das autoridades policiais, Chissola Fialho disse ter em sua posse um vídeo de uma viatura, cujo proprietário escapou à quarentena, seguindo para parte incerta.

Falta de condições

Os cidadãos, que se encontram em quarentena na Casa da Juventude e numa das escolas da cidade de Ondjiva lamentam ainda da falta de alimentação, da sobrelotação e da ausência de alguns equipamentos de biossegurança. “Não temos luvas e nem máscaras, muito menos álcool em gel que serviria para a desinfestação das mãos, e estamos a manusear a mesma torneira, não temos qualquer medida de segurança, praticamente só vieram nos esconder aqui”, desabafaram. Na Casa da Juventude, segundo as mesmas fontes, existe um único vaso sanitário para atender oito mulheres, o que, segundo elas, fere as medidas de biossegurança e propicia a propagação da pandemia. Sobre o assunto, a comissão multissectorial provincial garante pronunciar- se nos próximos dias com garantias dada a este jornal.

Acções preventivas

No quadro geral das acções preventivas contra o Covid-19, a província do Cunene conta já com 90 milhões de Kwanzas para a aquisição de materiais de consumo. Duzentos e trinta e quatro cidadãos estão em quarentena institucional desde o dia 20 deste mês, provenientes da África do Sul e da Namíbia. Deste número, 218 estão alojados em três centros de quarentena na cidade de Ondjiva e 16 num centro localizado no município de Ombadja.

error: Content is protected !!