UCCLA lança reflexão sobre Cultura em tempos de Pandemia

Escribas reagem positivamente e prometem entrar en cena. Nesta reflexão, cujo ultimato para
a entrega das criações é até 25 de Maio, o escritor cabo-verdiano, José Luiz Tavares, autor do
“ Paraíso Apagado por um Trovão”, foi o primeiro a aceitar o desafio ao enviar um texto com o
título FINDA [Litania em Tempos de Coronavírus]. O angolano José Luís Mendonça, não se fez
esperar e disse que prepara-se para fazê-lo em breve

Por:Augusto Nunes

A União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa acaba de lançar um desafio aos escritores da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) para reflectirem sobre a “Cultura em tempos de Pandemia”. Segundo a organização, o limite de caracteres é de 5 mil, e deverão ser enviados por email para [email protected] e/ou [email protected] uccla.pt, até 25 de Maio de ano em curso Para dar mais força anímica e facilitar o processo, a organização aconselhou os autores a enviarem os textos em poesia ou em prosa, até 25 de Maio, para a divulgação nas suas plataformas digitais e em livro.

Nesta reflexão criativa, o escritor cabo-verdiano, José Luiz Tavares, autor do “ Paraíso Apagado por um Trovão”, que esteve recentemente em Luanda, no âmbito do V Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, foi o primeiro a aceitar o desafio enviando o texto com o título FINDA [Litania em Tempos de Coronavírus]. Já em Angola, o também escritor, José Luís Mendonça, abordado por OPAíS, em relação à iniciativa, referiu que procurará detectar o convite e respondê-lo em breve. Mas ainda assim, não se fez esperar e decidiu partilhar um pequeno poema intitulado “COVID- 19”. O escriba nascido no Golungo Alto, província do Cuanza-Norte, a 24 de Novembro de 1955, é Licenciado em Direito pela Universidade Católica de Angola. Jornalista de profissão, exerceu o cargo de director e editor-chefe do recém- extinto Jornal CULTURA, quinzenário angolano de Artes & Letras. Em 2005, foi contemplado com o Prémio Notícias Gerais da Lusofonia, no Concurso CNN Multichoice Jornalista Africano.

No mesmo ano, o Ministério da Cultura atribuiu-lhe o Prémio Angola Trinta Anos, na disciplina de Literatura, no âmbito das comemorações do 30.º Aniversário da Independência Nacional, pela sua obra poética “Um Voo de Borboleta no Mecanismo Inerte do Tempo”. É autor de vários livros de poesia e de um conto. Já José Luiz Tavares nascido a 10 de Junho 1967, no Tarrafal, Ilha de Santiago, estudou Literatura e Filosofia em Portugal, onde vive. Entre 2003 e 2020 publicou 14 livros espalhados por Portugal, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Colômbia. Recebeu uma dezena de prémios atribuídos em Cabo Verde, Brasil, Portugal e Espanha. Não aceitou nenhuma medalha ou comenda, até agora. Traduziu Camões e Pessoa para a língua cabo- verdiana. Está traduzido para inglês, castelhano, francês, alemão, mandarim, neerlandês, italiano, catalão, russo, galês, finlandês e letão. Sobrevive ao tempo do mundo sem estar conectado a nenhuma rede social.

error: Content is protected !!