China assegura apoio aos angolanos mais vulneráveis

Para o embaixador chinês, a China reconhece as dificuldades que muitas famílias estão a enfrentar neste período de necessidades

O embaixador da China em Angola, Gong Tão, reafirmou, ontem, em Luanda, a disponibilidade do seu país para a busca de soluções e ajuda às comunidades angolanas mais vulneráveis às consequências do novo Coronavírus. Segundo o embaixador, o seu país vai continuar a ajudar os que mais precisam mediante a entrega de bens de primeira necessidade para ajudar a minimizar as dificuldades materiais, sobretudo neste período de estado de emergência. Conforme explicou, a China reconhece as dificuldades que muitas famílias estão a enfrentar nesse período de necessidades.

Por isso, frisou, a Embaixada do seu país e o grupos de empresários de diversos ramos de actividade têm vindo a desdobrar-se em gestos de solidariedade para acudir os que mais precisam.

A título de exemplo, apontou o gesto da sua Embaixada e do Grupo Gude, que entregaram, ao centro de acolhimento do Ramiros, no município Belas, um total de mil colchões, mil lençóis simples, 10 conjuntos de cadeiras de escritório e 18 sofás de escritório. Na doação constou ainda um valor monetário de 11 milhões e 271 mil Kwanzas.

Os bens foram entregues ao Governador de Luanda, Sérgio Rescova, que, na ocasião, agradeceu o gesto, tendo afirmado que a oferta vai ajudar a mitigar as dificuldades da instituição que alberga crianças desfavorecidas.

Já o vice- presidente do Grupo Gude, Zhao Bin, disse que a ideia de ajudar o centro partiu do grito de socorro da instituição, que vem enfrentando muitas dificuldades. “Os empresários chineses estão juntos com povo angolano e viemos aqui porque nos apercebemos que o centro enfrenta várias dificuldades. Por isso ajudamos”, frisou.

error: Content is protected !!