Paulo Flores prestigia “Dia da Paz” com show interactivo na Internet

As medidas de prevenção no momento actual desaconselham ajuntamentos e aglomerados, face a Covid-19. No entanto, Paulo Flores em dia especial de “Paz” em Angola, fez recursos às tecnologias, prestigiando o momento com um show interactivo em que revisitou parte do seu baú

O país assinalou no último Sábado, 4, o “Dia da Paz e da Reconciliação Nacional”, alcançada em 2002, resultante dos acordos do Luena (Moxico) entre as forças militares da UNITA e o Governo, pondo fi m a cerca de três décadas de confl ito armado em Angola.

A ocasião exige além de profundas refl exões, momentos nostálgicos e festivos, não fosse a pandemia mundial que o mundo hoje enfrenta, e Angola como nação também vive os ecos deste caos sanitário tendo já registado casos positivos da doença. Ainda assim, apesar das medidas preventivas, em que estão proibidos os ajuntamentos de pessoas, bem como o distanciamento interpessoal, o músico Paulo Flores, prestigiou o momento fazendo recurso às novas tecnologias de informação e comunicação.

As plataformas sociais do “Facebook” e “Instagram” foram os canais para visualização do concerto, protagonizado por Paulo Flores, coadjuvado pelo seu fi lho Kyari Flores, na guitarra e voz, em que ver e ouvir algumas das melhores “quetas” do seu rico reportório musical. As interferências para a recepção embora não fossem das melhores, não impediu a visualização de cerca de 7, 3 mil pessoas, 108 partilhas, e mais de 400 comentários apenas na rede social Facebook, a qual OPAÍS acompanhou o aludido espectáculo.

Reportório

Um reportório preenchido em que foram revisitados temas como “O país que nasceu meu pai”, “O dinheiro não chega”, “Inocente”, “Boca do Lobo”, “Minha velha”, “Coração farrapo”, “Coisas da terra”, “Reencontro”, “Njila ia Dikanga”, “Maná Bessanga” e “Poema do Semba” Na sequência “Samba da benção e da consolação”, “Mana Chiquita”, “Festão”, “Makalakato”, “Garina”, “O povo”, “Canto de rua” e “Sassassa”, completaram a revisitação ao cancioneiro de Paulo Flores, em aproximadamente duas horas e meia.

Satisfação Os internautas em Angola que vivem temporariamente o momento confinamento obrigatário excepcional em função da declaração Estado de Emergência em vigor desde o dia 27 de Março, foram os “primeiros” na linha da frente para acompanhar o compatriota desde Portugal. Mensagens várias foram deixando no Facebook, entre elas de felicitação ao músico pela iniciativa, solicitações de mais músicas, declarações de reconhecimento pelo seu potencial artístico e ainda de lembranças proporcionadas por cada uma das músicas em ocasiões diferentes.

O músico Com mais de trinta anos de carreira artística, Paulo Flores é dos mais renomados músicos angolanos, cujas matrizes assentam no Semba e na Kizomba. Em 2011, entrou para a galeria dos vencedores do Top dos Mais Queridos na sua 21ª edição, tendo no mesmo ano vencido o prémio da “crítica”, com a canção “Boda”.

error: Content is protected !!