Angola regista 17º caso positivo de Covid-19

O país registou, ontem, mais um caso positivos do novo Coronavírus (Covid-19), perfazendo, assim, 17 casos positivos. Trata-se de uma cidadã angolana de 28 anos de idade proveniente de Portugal no voo do dia 20, revelou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Secretário de Estado para Saúde Pública, Franco Mufinda

Franco Mufinda explicou, em conferência de imprensa, que a cidadã em causa mal chegou ao país ficou sob custódia das autoridades sanitárias, tendo sido hospedada em quarentena institucional no Hotel Infortur, na centralidade do Kilamba. Depois de diagnosticada a doença, foi internada no Hospital da Barra do Cuanza, uma das instituições devidamente preparadas para receber pacientes com esta doença. Dos 17 casos confirmados de infecção, dois terminaram em morte e dois se curaram.

O governante explicou que os 13 activos encontram-se todos estáveis e seguem tratamento em diferentes unidades sanitárias de Luanda. Salientou que a capital do país continua a ser a província acometida, sendo as localidades Talatona, Belas, Maianga, Viana, Ingombota e Samba, juntando-se-lhes agora o Kilamba Kiaxi, as que “albergam” os 17 casos positivos confirmados no país, sendo que as nacionalidades continuam a ser angolana e sulafricana. Neste momento, a faixa etária dos infectados vai de um a 62 anos de idade, havendo maior predominância do sexo masculino, com 11 casos, contra seis do sexo feminino.

O secretário de Estado para a Saúde Pública disse que concluíram ontem o processamento de amostras de pessoas expostas que viajaram de Portugal para Angola nos voos dos dias 17, 18 e 20 de Março que se encontravam em quarentena institucional. “Sendo assim, o laboratório conseguiu processar 1006 amostras e estão em processamento 15, referentes a trabalhadores dos hotéis que de uma forma ou outra contactaram as pessoas expostas que foram aí hospedadas”, disse.

Por outro lado, disse que o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) notificou nas últimas 24horas 22 denúncias de violações de quarentena domiciliar, o que acabou por aumentar o número de pessoas em quarentena institucional. Recebeu ainda 17 alertas de casos suspeitos que foram reportados, sendo três casos deles foram investigados e validados dois.

A nível do país, em quarentena institucional e domiciliar encontra-se 1.247 pessoas a serem seguidas, sendo que mais de 500 pessoas estão a observar a quarentena institucional. Ontem 201 pessoas receberam alta. “Os processos dos hotéis já foram concluídas. Estamos a fazer o processamento de pessoas que contactaram. Também continuamos com as actividades de busca activa de contactos de casos suspeitos”, disse.

Angola contará com testes rápidos brevemente
Franco Mufinda garantiu que continua a vigilância laboratorial com a intenção de alargar a base da feitura de testes e que já receberam autorização da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o uso das máquinas. Brevemente poderá ser aberto um posto de testagem de Covid-19 na província de Benguela, aumentando, assim, a capacidade de resposta nacional. Franco Mufinda informou que continuam com a formação de gestão de casos e também com o processo de aquisição de meios.

Fez saber que alguns países já usam testes rápidos e brevemente Angola seguirá este caminho para alargar ainda mais este domínio a testagem. Sublinhou que ficar em casa, lavar frequentemente as mãos, e, sobretudo, observar o isolamento social são alguma das medidas que estão ao alcance de todos os cidadãos para combater e prevenir o Covid-19. Aproveitou a ocasião para felicitar os profissionais da Saúde, por ocasião do Dia Mundial da Saúde, assinalado, ontem, 07 de Abril.

leave a reply