INADEC aperta cerco aos especuladores de bens e serviços

Instituto de Defesa do Consumidor promete não “baixar a guarda” e pede que população denuncie todos os comportamentos não conformes nesta altura de redobradas dificuldades no país

Cerca de 15 toneladas de produtos da cesta básica foram apreendidas a mando do Instituto Nacional de defesa do Consumidor (INADEC) na província de Benguela por caducidade e má conservação. Dentre os produtos apreendidos constam 250 sacos de açúcar de 50 Kg, 40 mil pacotes de arroz de 1Kg, contendo bichos e exalando um cheiro nauseabundo, 40 mil pacotes de farinha de trigo e 100 latas de atum das marcas “Manty e Sonho dos Oceanos”.

Ainda no âmbito da fiscalização do mercado de consumo, o INADEC registou 35 denúncias, todas sobre alteração de preços e especulação de produtos farmacêuticos e afins assim, como de produtos alimentares. Tais actos ocorreram em 40 estabelecimentos comerciais nos vários municípios e distritos do país, com destaque para Cacuaco, Cazenga, Benfica, Rangel, Golf II, Km 44, em Luanda e 99 nas restantes províncias.

O Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), continua no encalço dos operadores económicos que persistem em alterar os preços dos produtos alimentares e dos meios de protecção contra a COVID-19, recordando no entanto, que as equipas de fiscalização encontram-se em serviço permanente e ininterrupto, nas 18 províncias do país.

Durante o período em balanço, o INADEC recebeu um total de 35 denúncias dos consumidores, onde se destaca a especulação e açambarcamento de preços, a falta de higiene, má arrumação e conservação das mercadorias, falta de condições higio-sanitárias, falta de boletins de sanidade e de ventilação bem como da estrutura de cálculo de preços.

De 30 de Março à 3 de Abril do corrente realizou 139 visitas de constatação a diversos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços em todo país, tendo registado 74 infracções, seis notificações, 19 apreensões de produtos diversos por má conservação e por especulação de preços, uma colheita de amostra, uma acção de inutilização e 56 aconselhamentos. No seu balanço semanal o INADEC relembra aos consumidores as orientações do Ministério da Saúde. “Não se exponha ao perigo de contágio com o COVID-19.

O cumprimento do Decreto-Presidencial sobre o estado de emergência é importante para todos nós, Fiquemos em casa”, recorda. Para denúncias o INADEC disponibiliza os terminais telefónicos 938 405 823, 938 405 944, 938405951, whatsapp – 931 595996 e os endereços das páginas nas redes facebook-inadec angola ou o site: www.inadec.gov.ao.

error: Content is protected !!