Vias do Bem efectiva formação à distância

De acordo com o líder da referida instituição, a ideia é antiga, mas o receio do desinteresse dos formandos obrigou a organização a esperar, até que chegou o estado de emergência, decretado há mais de 12 dias, que os motivou a retomá-la e efectivá-la

O responsável da Vias do Bem, Angelino Quissonde, informou a OPAÍS, na Terça-feira, 7, que a sua instituição está a realizar, entre 7 e 11 de Abril, uma série de sessões de formação sobre gestão de projectos, fiscalização de obras e de instruções técnicas que visam o estancamento de ravinas por meios digitais, Zoon, Ned Go On Line com plataformas digitais como Zoon Skiper. “Trata-se de um método que, com aplicações práticas, permite que os formandos interajam por projecção de imagens, não se sintam cansados e, consequentemente, desinteressados.

O método que está a ser usado é o Zoon, Ned Go On Line, com plataformas digitais como o Zoon Skiper, ao ponto de se estar a preparar temas pragmáticos” , explicou o Angelino Quissonde, tendo acrescentado que, a partir do conforto do seu sofá ou cadeira de casa, o formando pode entender e discutir os temas e as melhores soluções para atender a possíveis questões.

Importa referir que a iniciativa da empresa Vias do Bem se enquadra no seu objecto social, que visa, essencialmente, a habilitação e reabilitação de engenheiros, arquitectos, técnicos médios e todos actores do ramo da construção civil e engenharia, nas temáticas de contenção de ravinas, fiscalização de obras e gestão de projectos. “As preocupações são relativamentes à gestão do projecto e a fiscalização dos mesmos, principalmente no que concerne aos Programas de Intervenção e Investimento dos Municípios (PIM), porque, hoje, os gestores das municipalidades estão preocupados e querem ter ferramentas eficazes para fazer melhor gestão desses projectos”, salientou o engenheiro civil Angelino Quissonde.

As melhores contribuições são no sentido de ser uma experiência nova, onde os técnicos, hoje, estão mais mobilizados para essa forma ou método de aprendizagem, tendo em conta que ainda existia um tabú, dando impressão de que com este mecanismo não se aprendia bem, lembrou. Acrescentou dizendo que ele e a sua equipa de formação também estão satisfeitos com os resultados, ainda pelo facto de o nível de satisfação dos formaandos ser bastante alto, na medida em que os objectivos dos mesmos foram atingidos.

“Os formandos estão actualmente dotados de habilidades técnicas e de outros recursos que os vão ajudar a fiscalizar as obras, gerir projectos e estancar ravinas”, assegurou o engenheiro, para quem esta resposta dos interessados é determinante para a continuação do projecto.

Ravina BPC-Jardim do Éden, o exemplo Para não se formar no vazio, os formadores da Vias do Bem escolheram a ligação entre o Banco de Poupança e Crédito (BPC) e o condomínio Jardim do Éden como exemplo, por se tratar de uma referência de ravina normal como as outras, “Foi escolhida de forma natural, tendo em conta as chuvas”, revelou o engenheiro, rezando para que com o estado de emergência decretado pelo Presidente da República, há mais de 12 dias, não chova, porque, segundo ele, as ravinas têm um fenómeno de aumento da sua dimensão que depende exclusivamente da água.

Em Luanda, em particular, onde se está a viver escassez de chuva, pode-se dizer que se está num periodo de graça, uma sorte que não podem ter os habitantes das províncias das Lundas Norte e Sul, Moxico e Cuanza-Norte, soube este Jornal do seu interlocutor, convicto de que, nesses ciclos provinciais as ravinas hão de aumentar as suas dimensões.

“Assim que terminar o periodo de emergência, deve-se fazer esforços para as controlar, fazer um plano de contigência , de modo a mitigarmos aquelas que, nessa altura, estarão a colocar em perigo estradas, escolas, unidades de saúde e outro tipo de instituições, adiantou, citando como exemplo as habitações das populações.

error: Content is protected !!