A EPAL faz a sua parte disponibilizando a água

Sobre esta situação conversamos com Manuel da Cruz, da EPAL, tendo esclarecido que estão a trabalhar com base no plano das administrações municipais. A EPAL faz a sua parte e as administrações a mesma coisa. “O Mussulo tem uma característica muito própria, não tem rede pública de distribuição, não tem abastecimento de água potável.

O que estamos a fazer é em contacto com as administrações que indicam o ponto onde devemos deixar a água e, dali, criam as condições para levar a água à população”, disse. Manuel da Cruz disse que têm um posto operacional, no qual recebem todas as informações das administrações com base na sua programação e vão distribuindo a água.

Disse que receberam uma solicitação para água do Mussulo que foi deixada no Buraco, mas como é transportada para dentro da Ilha, só a administração é que pode responder. “A administração vai solicitando algumas vezes água para o Mussulo, de acordo com a necessidade. O problema que deve haver é da transportação para as comunidades.

Na semana passada foi-nos pedido para deixar água para o Mussulo e nós deixamos. A água para o Mussulo é deixada nos reservatórios do bairro Buraco”, finalizou. Entretanto, importa frisar que tentamos contactar, via telefone, o administrador do Mussulo, Patrício Lemos, ontem, quando eram 16h45, mas não tivemos sucesso, nem algum retorno até ao fecho da presente edição.

leave a reply