Angola soma 19 casos positivos de Covid-19

o país registou mais dois casos positivos do novo Coronavírus (Covid-19), nas últimas 24 horas, perfazendo assim, 19. Trata-se de dois cidadãos angolanos, um do sexo masculino, de 59 anos, e uma senhora de 38 anos de idade, ambos provenientes de Portugal, revelou, a ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta

A titular da pasta da Saúde, Sílvia Lutukuta, disse, em conferência de imprensa, na apresentação diária do balanço sobre o ponto de situação epidemiológica no país, que os dois viajantes encontravam-se nos centros de quarentena institucional. “Por essa altura, temos 19 casos positivos. Todos eles são casos importados. Estas duas pessoas que testaram positivo estavam assintomáticas e estão, por essa altura, no nosso centro de referência e de tratamento da Barra do Cuanza”, explicou.

A governante disse que o Instituto de Investigação em Ciências da Saúde processou, até ao momento 1.094 amostras, outras 165 amostras estão em processamento. Actualmente, 685 pessoas encontram-se em quarentena e 57 tiveram alta. O país conta nesse momento com 19 casos positivos, dos quais dois óbitos e dois recuperados. Os pacientes estão a receber assistência médica tanto na unidade hospitalar acima referenciada como em algumas clínicas que estão devidamente equipadas para tal. Disse ainda que há pessoas que têm seguros de saúde válido em clínicas, pelo que são aí assistidas.

Por outra, a ministra da Saúde disse que prosseguem as acções de formação e capacitação dos profissionais de saúde para poderem líder com a Covid-19 em várias províncias, como o Bengo, Benguela e Malanje. O mesmo acontece na capital do país. “De uma maneira geral, continuamos a trabalhar nas medidas. Reforçando sempre as medidas de vigilância epidemiológica, vigilância laboratorial e a dar atenção necessária aos casos positivos sintomáticos e assintomáticos”, detalhou.

Sílvia Lutukuta garantiu que continua o acompanhamento aos contactos directos dos casos positivos e a prosseguem as actividades com vista à melhoria das condições para o tratamento de eventuais doentes com Covid-19 a nível nacional. Porém, apelou para a observância das medidas de protecção individual e colectivas, uma vez que o país ainda se encontra em estado de emergência. Explicou que as pessoas devem permanecer em casa de modo a facilitar com que as autoridades sanitárias consigam rapidamente cortar a cadeia de transmissão.

Passageiros prestaram falsas informações as autoridades A ministra da Saúde salientou ainda que muitas pessoas provenientes de Portugal, apesar de terem assinado o termo de compromisso de fazer a quarentena domiciliar, não forneceram os endereços nem os números de telefones correctos às autoridades. Garantiu que todas as pessoas que deixaram endereços e números de telefones correto têm merecido o seguimento adequado por parte das autoridades.

“Estimamos que se entre os dias 17 e 18 a nossa condição logística, em termos de medicamentos e laboratorial e tivermos outras alternativas para a testagem, nessa altura vamos fazer mais testes e mais testagem em massa”, garantiu. Fez saber que nesta altura, existe apenas um equipamento com reagentes adequados a fazer testagem para o país inteiro, mas outras alternativas estão sendo encontradas, porque a capacidade de diagnóstico do Covid-19 tem estado a evoluir.

“Outro tipo de equipamentos já pode ser utilizado e o nosso país está atento a essa evolução para fazer a competente aquisição dos meios diagnóstico ou os reagentes para pôr em funcionamento esse tipo de equipamentos”, disse. Por outro, disse que o número de casos tem aumentado, mas numa população muito definida e o país ainda não tem contaminação local ou circulação comunitária de casos de Covid-19, e que na Comissão Multissectorial os aspectos do estado emergência estão a ser estudados e em breve haverá um pronunciamento com as devidas medidas.

leave a reply