Dom Caetano lança música e vídeo-clip com mote “Covid-19”

a música e o respectivo vídeo-clip intitulada “Fique em casa” serão lançadas neste fim-de-semana nas estações televisivas, rádios e nas redes sociais, visando sensibilizar os cidadãos para o cumprimento das medidas preventivas contra a pandemia Covid-19

O músico angolano, Dom Caetano, disponibiliza neste fim-de-semana nas estações televisivas, rádios e nas redes sociais, uma música com o seu respectivo vídeo-clip, “Fique em casa”, que visa sensibilizar os cidadãos no cumprimento das medidas preventivas contra a doença do novo Coronavírus, que se regista no país desde Março. Os trabalhos com cerca de quatro minutos de duração, retratam as mensagens difundidas para se evitar a disseminação da doença, como desinfectar as mãos com álcool em gel, ou lavã-las com água e sabão várias vezes ao dia, o distanciamento social, entre outros, conforme é aconselhado pelas autoridades sanitárias internacionais e nacionais.

Os mesmos foram concluídos nos primeiros dias desta semana e foi composto durante o Estado de Emergência que vigora desde 27 de Março, gravado num dos estúdios em Luanda. A sua divulgação, conforme contou o artista a OPAÍS, é urgente pelo conteúdo informativo, para acautelar e sensibilizar os cidadãos. “É um trabalho que os cidadãos poderão assistir, o mais tardar, neste fim-de-semana, para saberem do perigo que corremos, ao não cumprir as medidas preventivas, que ditam a situação emergencial.

Como temos visto, o número de doentes está a subir gradualmente, e, até ao fim do mês em curso, é bem provável que cresça consideravelmente”, observou. Para a conclusão dos projectos, Dom Caetano viu-se “forçado” a sair de casa durante alguns dias, referindo que observou todos os cuidados necessários para não por em risco a vida dos seus familiares, assim como no estúdio, tendo para o efeito usado máscaras, álcool em gel e a desinfecção dos equipamentos.

Incumprimento das medidas preventivas

O também compositor que se encontra a cumprir o estado que emergência aconselhou os cidadãos a pautarem pelo mesmo comportamento, por considerar um dever patriótico e obrigação dos mesmos. “Aumentou o nível de sensibilização mas também está a baixar o nível de obediência. Aos poucos, com as várias sensibilizações feitas pela media, figuras públicas e mediáticas, assim como as igrejas, eles vão perceber dos riscos que correm, ao continuarem com essa conduta. Por isso, aqueles que por questão de ignorância e alguma indisciplina, bem como por falta de responsabilidade, se propõem a ficar na rua durante muito tempo e em momentos desnecessários, devem evitar”, apelou.

Actividades canceladas

O músico, assim como outros colegas de trabalho, viu-se forçado a cancelar os espectáculos agendados para Março e no mês em curso, assim como uma viagem a Portugal, onde pretendia gravar novas faixas musicais para o seu próximo trabalho discográfico. “Fomos forçados pela conjuntura e devemos perceber que é um fenómeno que todo mundo está a viver.

Por isso, devemos tirar exemplo do que os outros países estão a viver, com as mais de 400 mortes registadas diariamente, mesmo a terem uma condição sanitária mais evoluída do que a nossa. Por essa razão, devemos continuar a sensibilizar os cidadãos para o cumprimento das medidas de precaução, para não chegarmos ao extremo”, aconselhou. Angola até ontem à tarde, 8, registava 19casos positivos, dos quais duas mortes, dois recuperados e 15 pacientes activos todos eles provenientes do estrangeiro.

error: Content is protected !!