Economista defende aposta na banca digital para prevenir a covid-19

angola deve apostar na banca ditigital para efectuar pagamentos, compras online, entre outros serviços feitos nos ATMs e bancos tradicionais, visando prevenir o contágio do Coronavirus no país, através da circulação da moeda física, aconselhou o economista Sérgio Hirose

Até ontem, registaram-se 19 casos positivos da Covid-19, sendo que os dois primeiros casos positivo foram diagnosticados no dia 21 de Março. O responsável, que falava em entrevista exclusiva ao Jornal OPAÍS, a propósito das medidas preventivas contra a Covid-19, justificou que a moeda física constitui um grande foco na circulação de vírus, factor que pode contribuir fortemente na proliferação do Coronavírus. Sendo uma pandemia viral que afecta o mundo, Sérgio Hirose acrescentou que a medida iria reduzir as longa filas nos ATMs e nos bancos, uma acção que vai ajudar o Governo a conter a expansão da Covid-19 no país.

O também director Executivo (CEO) do Dubank, primeiro banco digital angolano, que aguarda aval do Banco Nacional de Angola (BNA) para iniciar a sua actividade, explica que a tecnologia bancária veio para ficar e revolucionar a actividade da banca tradicional. Com o registo de casos positivos de Coronavírus no país, Sérgio Hirose considera um bom momento para o desenvolvimento da banca digital no país. Vários países estão a somar esforços para conter o contágio desenfreado do coronavírus entre a população e esta, na sua opinião, é uma das medidas que se deveria adoptar em Angola, a par de outras que visam reduzir interacções sociais, bem como a suspensão de serviços considerados não essenciais. Para o economista, diante deste cenário de crise mundial, o banco digital exerce um papel importante, por se tratar de um serviço que é essencial a toda população.

“A necessidade de ir a uma agência bancária ou multicaixa deixa de existir, uma vez que o banco digital, através de smartphone e site pode-se fazer todos os pagamentos, transferências contas interbancárias, efectuar recargas de saldo de telemóveis”, afirmou. Tendo acrescentado que “assim como também fazer compras online, receber salários e outros serviços, bem como todo o serviço feito pelas agências e multicaixas”, disse. Nesta fase de estado de emergência é preciso evitar contacto com pessoas através de aglomerações, tornando assim nesta fase da pandemia as agências bancárias um local de risco de contaminação e é neste período que o banco digital entra em acção, para evitar que as pessoas corram risco de contaminação.

Em relação ao contributo económico da banca digital, explicou que a adopção desta acção pela China, Japão, Coreia do Sul, EUA, Brasil, entre outros países, verificou-se uma contínua aceleração do mercado financeiro. Para terminar, reforçou ser importante a aposta na banca digital, por ser o futuro da banca mundial e que o Dubank poderá contribuir positivamente em todos os sectores da economia angolana.

error: Content is protected !!