Igrejas criam técnicas para manter recolha de doações dos fiéis

em tempo de estado de emergência, algumas igrejas optaram por inovar para manterem a arrecadação de doações semanais dos fiéis ou atenderem as suas necessidades espirituais, num mundo cada vez mais materialista. Igrejas há que violam o lei que regula o actual estado que o país vive

Por: Paulo Sérgio e Maria Teixeira 

a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), para manter a colecta das contribuições dos fiéis, tornou públicas as suas coordenadas bancárias em quatro bancos comerciais existentes no país, através de um vídeo em que aparece o bispo Honorilton Gonçalves a orientar como deverão proceder. No vídeo posto a circular nas redes sociais em Março, a direcção da igreja fez questão ressaltar que uma das quatro contas está reservada para a recepção de doações em dólares.

“Quando o senhor ou a senhora fizerem a doação, envie, por favor, o recibo da doação para que a gente possa colocar neste livro de oração. Todos os dias nós vamos orar pelos fiéis”, explica o responsável máximo da IURD em Angola, exibindo o livro de capa preta intitulado, em letras garrafais amarelas, “Livro dos Fiéis”. A orientação não pára por aí. Honorilton Gonçalves orienta que os fiéis em cujos recibos de transferência não apareçam os seus nomes, devem registá-lo em manuscrito no mesmo, antes de o enviar. “Nós estaremos orando por todos os que se movem no sentido de socorrerem a obra de Deus”, frisa.

Para justificar a importância da doação, diz que o “socorro virá” através das doações dos fiéis e, por conseguinte, “dos céus, através do poder de Deus. Da oração”. De seguida exibi na tela dois números de telefone: 925 33***2 e 993 8****7 para onde os contribuintes para a alegada obra de Deus devem enviar, por intermédio da rede social Whatsapp, uma mensagem com a foto do recibo da doação com o seu nome, para que seja registado no livro dos fiéis.

Para demonstrar que haverá transparência, esclarece que a fotografia do recibo da doação será também fixada no aludido livro, ao lado do doador. Honorilton Gonçalves reitera que as doações são fundamentais para que possam manter a alegada obra de Deus.

Cultos dominicais ilegais

No Domingo último, vários líderes religiosos desobedeceram o estado de emergência decretado pelo Presidente da República, João Lourenço, realizando cultos, revelou o subcomissário Waldemar José em conferência de imprensa de balanço sobre a situação do Covid-19.

O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior citou apenas quatro casos, como ilustrativos, porém, ressaltando que ocorreram mais. “Agradecemos as igrejas que acataram as nossas orientações, mas, infelizmente, ainda existem algumas que teimam em celebrar alguns cultos que estão proibidos por meio do Decreto Presidencial”.

Em função disso, as forças de defesa e de segurança detiveram preventivamente um pastor da igreja Missão Evangélica Espirito Santo em Angola (MEENSA) no Namibe, que foi enconrado, em flagrante, a realizar uma celebração litúrgica para muitos fiéis. No município de Cacula, as forças da ordem detiveram sete pastores que se dedicavam a um culto religioso numa residência. Waldemar José considera que a realização de tal actividade demonstra que os líderes religiosos não acataram a advertência das autoridades, de que a realização de tais eventos expõe ao risco não só a vida do pastor, mas também as da própria família que acolheu o culto na sua residência.

O terceiro caso ocorreu em Saurimo, província da Lunda-Sul. As forças da ordem detiveram dois cidadãos, o secretário e o administrador da Igreja Evangélica Sinodal de Angola (IESA), por estarem a realizar um culto religioso também no interior de uma residência, com muitos fiéis. Igual número de pastores foram privados temporariamente da liberdade na província do Cuanza-Sul. Dois pastores e dois fiéis da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA) foram apanhados em flagrante igualmente a realizarem cultos no interior de uma residência. “Se eventualmente um desses fiéis for portador da doença, todos os outros poderão transportar a doença para as suas residências”, alertou.

O oficial comissário da Polícia Nacional declarou que tais pastores vão responder criminalmente. Waldemar José garantiu que as forças de defesa e de segurança estão mais atentas às instituições religiosas e que tudo farão para que a prática de se realizar cultos em residências cesse. E, por outro lado, os que persistirem serão responsabilizados criminalmente.

leave a reply