Angola com 358 casos suspeitos de Covid-19 em seguimento

O país continua com os 19 casos positivos de Covid-19, dos quais dois óbitos e dois recuperados, ou seja, sem registos de novos casos nas últimas 24 horas. Entretanto, estão em seguimento 358 casos suspeitos e 696 contactos dos 19 casos confirmados, revelou, ontem, em Luanda, a ministra da saúde, Sílvia Lutucuta

Na apresentação diária do balanço da situação epidemiológica do país, ontem, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, a titular da pasta fez saber que, por esta altura, o país mantem os 19 casos positivos de Covid-19 anunciados no dia anterior. “Nas últimas 24 horas não registamos mais nenhum caso de Covid-19. Por esta altura, mantemos os 19 casos, com dois casos que resultaram em morte. Temos 15 casos positivos que se encontram nas nossas unidades sanitárias de referência”, garantiu.

Sílvia Lutucuta contou que continua todo o trabalho com vista à investigação dos contactos dos casos suspeitos, sendo que neste contexto estão em seguimento 358 pessoas suspeitas de estarem infectadas e 696 pessoas com os quais os 19 pacientes detectados com o Coronavírus mantiveram contactos. Fazendo um balanço da quantidade de amostras examinadas até ao momento pelo Instituto Nacional de Investigação em Saúde, disse terem sido processadas 1.113 amostras, das quais 19 positivas. Até ontem estavam em processamento 92 amostras, cujos resultados poderão ser anunciadas hoje.

Segundo a governante, continuam em curso todas as medidas do plano de contingência com vista a tornar mais eficaz a vigilância epidemiológica, laboratorial e o manejo de casos. Sílvia Lutucuta fez saber que, no âmbito do plano de contingência, uma das peças fundamentais são os recursos humanos com capacidade de resposta para enfrentarem a pandemia. E, por esta razão, tiveram que recorrer aos cubanos, de um com que Angola tem uma relação muito longa e com bastante experiência em várias áreas, especialmente na área da saúde.

264 reforços cubanos no combate ao Covid-19 chegam hoje ao país

264 profissionais de saúde de distintas áreas chegam às 12horas de hoje a Luanda, para juntar-se aos seus colegas angolanos que diariamente dão o melhor de si no combate e prevenção do novo Coronavírus.

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, disse que, para fazer face à escassez de recursos humanos especializados, o contingente cubano é constituído maioritariamente por médicos especialistas, dentre os quais 244 são novos e 20 são médicos que estão a regressar de férias. Fez saber que esses profissionais, após o período de combate ao Covid-19 serão distribuídos para todos os municípios do país. “O que se pretende aqui é dar saúde e atendimento especializado o melhor possível a nível nacional, em todos os lugares e em todo o momento, como preconiza a Organização Mundial da Saúde (OMS)”, frisou.

Entretanto, apelou ao povo angolano a receber os profissionais cubanos de braços abertos e que cumpra as orientações clínicas e de saúde pública que estes efectivos irão proporcionar durante o combate à pandemia que assola o mundo. Entre as medidas de protecção, pediu, mais uma vez, às pessoas, que observem as medidas de protecção individuais e colectivas, por serem, de facto, a prioridade nesta altura, sendo que o isolamento social impõem-se e a observância de todas as medidas extraordinárias determinadas no Decreto Presidencial que regula o estado de emergência.

Por outro lado, disse que o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) notificou, nas últimas 24horas, 22 denúncias de violações de quarentena domiciliar, o que acabou por aumentar o número de pessoas em quarentena institucional. Recebeu ainda 17 alertas de casos suspeitos que foram reportados, sendo que três casos deles foram investigados e validados dois.

A nível do país, em quarentena institucional e domiciliar encontram-se 1.247 pessoas a serem seguidas, sendo que mais de 500 pessoas estão a observar a quarentena institucional. Ontem, 201 pessoas receberam alta. “Os processos dos hotéis já foram concluídos. Estamos a fazer o processamento de pessoas que contactaram. Também continuamos com as actividades de busca activa de contactos de casos suspeitos”, disse.

Angolanos chamados a colaborar para se ter bons resultados
“Acreditamos que o povo angolano é um povo obediente e que vai colaborar com as autoridades e com todos porque essa luta não é só do Governo, mas de todo o povo angolano. E se nós queremos bons resultados, todos temos de participar nesta luta”, apelou a ministra da Saúde.

De realçar que os 19 casos positivos são de cidadãos angolanos e um sul-africano, com idades compreendidas entre um e 62 anos, que regressaram recentemente ao país com passagem por Portugal.

O novo Coronavírus, responsável da pela pandemia do Covid-19, surgiu na China em Dezembro de 2019. O surto espalhou-se por todo o mundo e matou milhares de pessoas, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a decretar uma situação de pandemia.

error: Content is protected !!