Autoridades Sanitárias no Huambo prevêem controlar 4 mil viajantes

A Comissão Multi-sectorial de Prevenção à Covid-19 no Huambo prevê controlar quatro mil pessoas que estavam previstas regressar à província até às 23h59 de ontem, provenientes de vários pontos do país, revelou, ontem, o seu porta-voz Lucas António Nhamba. O regresso massivo começou no Sábado último, com o levantamento temporário da cerca sanitária em todo o território nacional. Em conferência de imprensa, esclareceu que os viajantes são controlados através de uma ficha com os dados pessoais e números de telefones, incluindo alternativos, para facilitar a interacção com as equipas médicas. Para o êxito das medidas de controlo, reconheceu que seria fundamental existir maior cooperação de todos os viajantes que regressam à província, no sentido de fornecerem dados reais para as equipas em serviço.

Enfatizou que a preocupação consiste na saúde deles e das suas famílias, sobretudo os que vêem de Luanda, onde há o registo de 19 casos, com dois óbitos e quatro recuperados. Há cinco dias que não se registam novos casos. Esclareceu que a comissão, encabeçada pela governadora da província, Joana Lina, implementou medidas específicas para um fluxo de mobilidade, em função das regras de prevenção, com o rastreio obrigatório de todos os viajantes. De modo a ter melhor controlo das pessoas que transpuseram as fronteiras da província, foram colocadas equipas médicas em todos os pontos de entrada e saída das vias de acesso inter-provincial, com objectivo de monitorar a temperatura e os possíveis sintomas desta doença viral. Lucas Nhamba recordou, segundo a Angop, que os 40 cidadãos que estavam em quarentena domiciliar, depois de terem regressado de países com fortes incidências de contágios, tiveram alta médica, depois de cumprirem os 14 dias estabelecidos para a manifestação de sintomas da doença, sendo que as 15 amostras recolhidas e enviadas ao Instituto Nacional de Investigação de Saúde, tiveram resultado negativo.

error: Content is protected !!