China intensifica controlo da fronteira terrestre para prevenção da Covid-19

A China intensificou as medidas de controlo da fronteira terrestre para a prevenção e controlo da doença do novo coronavírus (Covid-19), disse um funcionário nesta Segundafeira. Liu Haitao, da Administração Nacional de Imigração, fez as observações numa conferência de imprensa sobre a resposta da China ao surto de coronavírus

Observando que a maioria dos países que compartilham uma fronteira terrestre com a China relataram casos da Covid-19, ele disse que a situação epidêmica está uma escalada e que a China está a enfrentar pressão crescente dos casos importados da Covid-19 através da sua fronteira terrestre. Além dos pontos de entrada e passagens terrestres, a extensa fronteira terrestre da China tem um grande número de passagens em montanhas, atalhos, travessias de balsas e pequenos caminhos, dificultando o controlo, disse Liu.

Chineses e estrangeiros enfrentam medidas iguais de quarentena na China, diz autoridade

Cidadãos estrangeiros e chineses enfrentam as mesmas medidas de quarentena na China de acordo com a lei em meio ao surto do novo coronavírus, garantiu Wang Bin, da Comissão Nacional de Saúde, nesta segunda-feira. Como estipulado em leis relevantes, como a lei sobre a prevenção e o tratamento de doenças infecciosas, todas as pessoas na China, de nacionalidade estrangeira ou chinesa, enfrentam medidas iguais de prevenção e controlo da epidemia, incluindo tratamento médico e requisitos de quarentena com base na comunidade, destacou ela numa conferência de imprensa. Respondendo a uma pergunta sobre as medidas de quarentena para os estrangeiros na província de Guangdong, no sul da China, Wang disse que a região adoptou os mesmos padrões de outras regiões provinciais chinesas, que exigem que os viajantes de entrada passem por uma quarentena de 14 dias em locais designados.

73% de estudantes chineses estudam online via smartphones durante epidemia, diz pesquisa

Cerca de 73% dos estudantes chineses usam smartphones para estudar online em casa devido ao surto de novo coronavírus, de acordo com os resultados de uma pesquisa divulgada no China Youth Daily, na Segunda-feira. Dos 62.446 alunos do ensino fundamental e médio e os pais entrevistados na pesquisa, 12% acessam cursos online por meio de tablets e 5% via TVs. Como as escolas de todo o país receberam ordens para adiar o semestre da primavera por preocupações com o novo coronavírus, 97% mudaram os cursos online, segundo a pesquisa, que entrevistou 3.110 administrações educacionais. Dos 7.111 professores pesquisados, quase 30% transmitem as suas aulas ao vivo e os demais transmitem os cursos existentes e respondem a perguntas online. A pesquisa também fez uma lista dos problemas para os alunos estudarem online em casa, com professores e pais citando interacção insuficiente entre professores e alunos, e preocupações com o risco de miopia. Ao serem questionados se eles eram a favor de ter alguns cursos online mesmo após a epidemia, mais de 75% dos professores e alunos, e 62% dos pais concordaram, Precavendo-se de um agarvar da situação, China impõe controlo rigoroso nas fronteiras terrestres de acordo com a pesquisa.

 

leave a reply