Porque é que o Vietname está lidar melhor com o COVId-19?

O presente artigo visa ajudar a perceber como é que os outros países têm lidado melhor com a contenção da pandemia do Covid-19. A pandemia é global e Angola não escapa dela. Para efeitos dessa análise entre países, escolhemos como caso de estudo o Vietname, país que nos chamou bastante atenção dado ao modo interessante de lidar com a pandemia. Do ponto de vista teórico-analítico partiremos de dois comentários: Primeiro, sistema de saúde ou de prevenção. A questão da pandemia do Covid-19 nunca foi um problema de saúde, porque, infelizmente, o coronavírus não é como um cancro que se pode tratar num hospital, envolvendo muitos médicos e pesquisadores. O Covid- 19 é uma doença que mal se conhece. Logo, não há sistema de saúde que a aguente. Podemos por exemplo, dispor de 400 camas de hospital por cada 1.000 habitantes, mas logo a seguir, chegaremos a um ponto em que já não disporemos de recursos. Então qual é a melhor forma de lidar com o Covid- 19? É a prevenção. E é exactamente aí onde reside o problema e a diferença entre países. Há países que são melhores a prevenir-se do que os outros. A coreia do Sul, o Vietname, por exemplo, são bons em prevenção. Segundo, Cultura, ou cultura política. Os países asiáticos são considerados altamente disciplinados. As pessoas nesses países percebem bem o que fazer e o que não fazer. Existem leis, incluindo leis problemáticas, mas são muito facilmente acatadas do que em qualquer outra parte do mundo. E aqui não estamos a falar apenas de regimes autoritários. Estamos sim, a falar também de regimes hierarquizados. E esse aspecto infelizmente não é a nossa situação em Angola. Temos um regime em transição para a democracia, mas com algumas franjas da população que é extremamente indisciplinada. Devem haver vários factores que concorrem para isso, mas não serão objecto de discussão nesse artigo. Em Angola é a primeira vez que se decreta um Estado de Emergência com vista a evitar a rápida contaminação da pandemia e todas as consequências a si associadas. O país não tem tradição de disciplina para lidar com situações como a pandemia do Covid-19. Apesar do número reduzido de casos positivos já registados, o Governo tomou uma série de medidas antecipadas (estado de emergência, plano de contingência) de contenção contra o alastramento da pandemia. Basicamente, os mecanismos adoptados pelas autoridades governamentais e sanitárias nem sempre estão de acordo com as situações que ocorrem durante o estado de emergência. O Vietname tem 95 milhões de habitantes, dos quais, apenas 212 cidadãos (até a altura deste artigo) estão infectados pelo Covid-19 e não registou nenhuma fatalidade até dia 20 de Março de 2020. O Governo tem sido muito proactivo e tomou medidas rigorosas para prevenir a rápida expansão do covid-19. Suspendeu, principalmente, todos os vôos de e para a China, encerrou escolas e outros locais públicos e manteve por 14 a 15 dias de quarentena todos os cidadãos (nacionais e estrangeiros) que entrassem para o país. Na província de Vinh Phuc, no norte de Hanói, foi estabelecido um período de 21 dias de quarentena por causa dos trabalhadores migrantes que voltavam de Wuhan, de onde o virús rus é originário. Montou-se inclusive um sistema de alerta em que a população colabora na denúncia de vizinhos que terão chegado do estrangeiro, principalmente da China, para serem submetidos a testes e à quarentena. Não houve excepções. O Vietname demonstrou que mesmo com limitados recursos é possível conter essa pandemia global ao contrário de muitos países desenvolvidos, que mesmo tendo bons sistemas de saúde não conseguiram. Até agora, a única solução tem sido a prevenção. E esta solução tem chocado algumas vezes com medidas que os governos tomam (fi car em casa por exemplo). Em países como o Vietname e China em que o governo, em função do seu sistema político, pode tomar todos os tipos de medidas ao contrário dos EUA ou mesmo aqui próximo, África do Sul. Na Africa do Sul por exemplo, o Governo já teve de ir algumas vezes a tribunal para responder por processos em que os cidadãos desafi avam a constitucionalidade do Estado de Emergência. Antes pelo contrário, em muitos desses países desenvolvidos, a pandemia alastrou-se muito rapidamente contaminando milhares de cidadãos. Vejam os exemplos da Itália, Espanha, França e, mais recentemente, os EUA. O que esteve por detrás dessa rápida e acelerada contaminação nesses países? No caso de países em que a pandemia alastrou-se rapidamente, há que se ter em atenção alguns factores ou drivers tais como: i) o número de turistas que acorrem para aqueles países (Itália, EUA, França); ii) a forma de organização social e a sua relação ou infl uência com o tipo de sistema político, ou seja, parece que em países democráticos os cidadãos submetem-se muito pouco às obrigações estabelecidas pelas autoridades em função dos poderes defi nidos e do tipo de limitação que um governo pode impor sobre os cidadãos. No caso do Vietname, pode-se depreender que a estrutura do seu sistema de saúde (em crescimento) mais a organização social baseada num sistema político monopartidário (top-down) determinou a mitigação rápida da contaminação por covid-19. Não se quer com isso dizer que os sistemas ditatoriais são mais efectivos em lidar com o Covid- 19, mera coincidência apenas! Independente dos sistemas políticos serem muito verticais, a tradição pela disciplina da organização social conta muito. O Governo vietnamita adoptou várias medidas para lidar principalmente com os grupos mais vulneráveis, dentre elas: i) compensação com o pagamento de 2 USD por pessoa, por dia, enquanto durar a quarentena ou confi namento social; ii) testagem para o controlo de doenças extensiva a toda a população, com particular atenção para os grupos vulneráveis, trabalhadores e estudantes; iii) não à descriminação de pessoas com SARSCoV- 2 e estabelecimento de regras rigorosas de punição de quem divulgar informações falsas ou proferir informações erradas, porque a divulgação de informações falsas e erradas sobre a pandemia deixa as pessoas mais desprotegidas e vulneráveis à doença, ao medo pela propagação e à estigmatização; iv) mobilização de sinergias de diferentes organizações da sociedade civil para participarem da sensibilização das comunidades sobre o perigo da pandemia, incluindo a mobilização de doações e apoios aos grupos mais vulneráveis. Concluindo, no caso do Vietname, contou muito a disciplina, a proactividade da actuação do Governo vietnamita, o cumprimento das instruções das autoridades e a colaboração da população. A sociedade civil joga um papel importante na mobilização de sinergias sociais no apoio aos diferentes grupos sociais, e complementa sempre os esforços governamentais. O apoio imediato e inclusivo dos mais vulneráveis e das pessoas mais carenciadas para que estas “fi cassem em casa” foi estratégico e evitou a violação, pelos cidadãos, das instruções dadas pelas autoridades. A testagem massiva, a denúncia pelas populações de casos suspeitos de Covid-19 e o isolamento imediato de pessoas suspeitas contribuiu grandemente para travar a rápida contaminação das populações. O Governo angolano foi determinante em tomar medidas rigorosas antecipadamente (estado de emergência decretado no dia 28/02/2020) para prevenir-se do alastramento do Covid-19. Fechou rapidamente as suas fronteiras aéreas e terrestres com vários países incluindo a própria China. Quer para o Vietname, quer para Angola, a prevenção é a chave do sucesso no combate ao Covid-19, pois não há sistema de saúde nenhum que aguente a pandemia do Covid-19. A experiência do Vietname em lidar com o Covid-19, pode servir de lição aprendida para outros países que também lutam igualmente contra essa pandemia invisível e transmundial. Fique em casa, salve vidas! *é Profi ssional em Governação e Desenvolvimento

error: Content is protected !!