Sobe para cinco o número de pessoas recuperadas da Covid-19 no país

Nos últimos seis dias, Angola não registou novos casos de pessoas infectadas com a Covid-19. Entretanto, registou mais um caso de paciente recuperado, totalizando, assim, cinco dos 19 infectados, dos quais dois resultaram em óbitos, revelou ontem, em Luanda, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Por:Maria Teixeira

O governante que falava na habitual conferência de balanço da situação epidemiológica do país, nas últimas 24 horas, garantiu que a única alteração que houve é o aumento de pacientes recuperados, ficando em seguimento clinico 12 pessoas. Todas elas estão estáveis e internadas em unidades sanitárias de referência, que reúnem condições para tratamento de portadores do novo Coronavírus. “Informamos que houve uma alteração. No entanto, esta alteração é positiva. O país acaba por recuperar mais um paciente. De modo que contabilizamos cinco pacientes recuperados e não houve nenhum caso positivo ao longo das 24 horas”, garantiu. Explicou que em termos percentuais está-se a falar de 26 por cento, quando comparado este número com a média mundial que está à volta de 23. “Pesamos, nós, que estamos a caminhar bem. Então, devemos continuar.

Clinicamente, há bastante esforço envidado”, disse. Fez saber que as localidades não alteraram e Luanda continua a ser a única província acometida, sendo que Talatona, Belas, Maianga, Ingombota, Samba, Viana e Kilamba Kiaxi são os pontos onde estão situados os 19 casos positivos confirmados no país, e as nacionalidades continuam a ser angolana e sulafricana. Por outro lado, a faixa etária não mudou e vai de um a 62 anos de idade, havendo maior predominância do sexo masculino com 13 casos positivos, contra seis do sexo feminino. Assim sendo, o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) não registou, nas últimas 24 horas nenhuma denúncia de violação de quarentena domiciliar. No entanto, registou sete alertas que foram  de casos suspeitos, sendo que três investigados e foram descartados porque nada tinha a ver com o pressuposto que é a Covid-19.

Mais de 7 mil pessoas em quarentena domiciliar Franco Mufinda revelou que o levantamento da cerca sanitária fez com que muitos angolanos pudessem regressar às suas províncias de origem, de modo que isso elevou o número das pessoas que estão a observar a quarentena domiciliar. “Estamos a falar de cerca de 7 mil e 307 pessoas que regressaram e que compõem a generalidade das duas quarentenas. Os que observam a quarentena institucional não passam de 428 pessoas”, contou. Nas últimas 24 horas, 11 pessoas receberam alta. O secretário de Estado para a Saúde Pública salientou que em termos de laboratório não houve alteração, sendo que o Instituto de Investigação em Ciências da Saúde continua com 1.186 amostras processadas e outras que estão em seguimento.

Fez saber que até à próxima semana, o Ministério da Saúde terá uma nova abordagem da feitura de testagem para poder alargar cada vez mais este processo de diagnóstico. No total, 15 províncias terão o novo aparelho funcional com a testagem rápida. Franco Mufinda disse que os casos suspeitos não alteraram, com 365 pessoas. À volta dos 19 casos confirmados estão 696 pessoas. Contou que a Comissão Multissectorial da Covid-19 visitou, ontem, as províncias de Cabinda, Zaire, Uíge, Cuando Cubango, Moxico e Bengo com o objectivo de controlar e avaliar o grau de prontidão delas no que respeita aos insumos e resposta hospitalar, um trabalho que vai continuar até ao dia 17 deste mês. Sem citar nomes, o governante garantiu que já visitaram outras províncias.

 País conta com 300 equipas de vigilância nas comunidades

O governante anunciou que o país tem mais de 300 equipas de vigilância epidemiológica que estão nas comunidades a trabalhar 24/24 horas por dia em busca de casos, um trabalho em paralelo que vai continuar no sentido de encontrar os casos suspeitos e reportar à vigilância laboral. Apelou as pessoas a observarem o estado de emergência e o isolamento social por considerar que o segredo da gestão consciente desse processo da Covid-19 passa pelo isolamento e a prevenção de lavar frequentemente as mãos e ficar em casa. Estas medidas ajudarão a que se tenha uma avaliação diária de casos. Para se prevenir e combater a Covid- 19, Angola observa, desde às 00h00 de Sábado último um novo período de estado de emergência, que deve vigorar até às 23h59 do dia 25 de Abril. De realçar que desde o surgimento da pandemia da Covid-19, em Dezembro de 2019, na China, mais de 120 mil pessoas morreram em todo o mundo e existem quase 2 milhões de infectados.

Famílias em extrema vulnerabilidade vão receber cesta básica

O governador provincial de Luanda, Sérgio Luther Rescova, anunciou ontem, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, que serão distribuídas cestas básicas às populações vulneráveis. O governante contou que se trata de um Programa Assistencial que enquadra-se naquilo que são as medidas que o Executivo programou para atenuar as situações que resultaram da declaração do estado de emergência que dá lugar a algumas limitações e cria algumas preocupações por parte das famílias. “Esse programa enquadra-se no âmbito de acções de assistência já estruturadas ao nível do Estado e que tem como finalidade a distribuição de cestas básicas àquelas famílias que se encontram em extrema vulnerabilidade”, explicou.

leave a reply