Coronavírus poderia ser transmitido por cadáveres, alertam especialistas

Especialistas anunciam primeiro caso de transmissão do novo coronavírus SARS-CoV-2 através do cadáver de paciente falecido. Won Sriwijitalai, do Centro Médico RVT em Bangkok, Tailândia, e Viroj Wiwanitkit da Universidade Dr. DY Patil em Pune, Índia, relataram ao Journal of Forensic and Legal Medicine que um médico legista tailandês faleceu na capital tailandesa no final de Março devido à Covid-19, no que seria o primeiro caso confirmado de transmissão do novo coronavírus através de um cadáver.

Segundo esses cientistas, é improvável que o profissional de medicina legal forense tenha sido infectado por um portador vivo do vírus, uma vez que à época quase todos os casos de SARS-CoV-2 relatados na Tailândia eram importados. O médico legista falecido lidava com amostras biológicas e cadáveres. Contudo, não há informações exactas sobre o número de cadáveres infectados com o novo coronavírus, pois os corpos não são sujeitos a verificações regulares, observam os referidos especialistas. Seja como for, “os profissionais de medicina legal devem usar dispositivos para se protegerem, incluindo trajes de protecção, luvas, óculos, touca e máscara.

O procedimento de desinfecção utilizado em salas de cirurgia também deve igualmente ser aplicado em unidades de patologia e medicina legal”, afirmam os especialistas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os pulmões das pessoas falecidas de pneumonia causada pelo novo coronavírus podem ser perigosos se não forem devidamente manipulados. Por outro lado, a OMS afirma que o novo coronavírus não sobrevive muito tempo após a morte de seu hospedeiro. Na Tailândia, foram relatados até hoje (15) 2.643 casos de infectados com SARS-CoV-2 e 43 óbitos desde o início da epidemia, de acordo com a Universidade Johns Hopkins. À escala mundial, registram-se 1.986.986 infectados e 126.812 mortes

error: Content is protected !!