UA conta com mais de USD 17 milhões para combater Covid-19

Dezassete milhões de dólares é o montante com que a União Africana (UA) prevê contar para combater a pandemia da Covi-19 no continente, de acordo com uma nota de imprensa da Embaixada de Angola na Etiópia e representação permanente junto dessa organização enviada ontem a OPAÍS

A decisão saiu de uma teleconferência da Mesa do Conselho Executivo da UA, convocada pela sua presidente em exercício, Naledi Pendor, ministra das Relações Internacionais e da Cooperação da África do Sul, realizada na última Quinta-feira. A soma acima mencionada será disponibilizada por alguns dos Estados-Membros da UA, nomeadamente a África do Sul, República Democrática do Congo, Egipto, Quénia e Mali. Estes países estão em vias de transferir um montante total combinado de 17 milhões de dólares, como capital inicial, tanto para o Fundo como para o África CDC (Centro de Controlo e Prevenção de Doenças). A transferência do aludido montante será feita da seguinte forma: 12,5 milhões de dólares para o Fundo e 4,5 milhões de dólares para o África CDC.

Os ministros recomendaram as medidas tomadas pelo presidente da Comissão da UA, Faki Mahamat, no sentido de pôr em prática todos os requisitos legais necessários para a operacionalização do Fundo da União Africana de Resposta à Covid-19. Os participantes instaram os Estados-Membros a dar contribuições tanto para o Fundo como para o África CDC e salientaram que o Fundo Africano de Combate à COVID-19 é uma iniciativa panafricana que deverá mobilizar recursos financeiros a serem distribuídos, equitativamente, pelos Estados Membros, para apoiar o combate de África contra o novo Coronavírus.

A mesa manifestou o seu apreço e apoio inequívoco à declaração do presidente da UA e Chefe de Estado da África do Sul, Cyril Ramaphosa, afirmando o apoio da UA à Organização Mundial de Saúde OMS), liderada pelo etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus. Participaram na teleconferência todos os Membros da Mesa, designadamente Marie Tumba Nzeza, ministra dos Negócios Estrangeiros da RDC, Sameh Shoukry, do Egipto, Rachelle Omano, do Quénia, e Tiébilé Dramé, ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional do Mali. Tomaram igualmente parte o presidente da Comissão da UA, Moussa Faki Mahamat, a comissária da UA para os Assuntos Sociais, Amira El Fadil, e o director do Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças (Africa CDC), John Nkengasong.

error: Content is protected !!