Dois dos cinco pacientes recuperados da Covid-19 no país já em casa

Dois dos cinco cidadãos infectados pela Covid-19, que se encontravam internados na Cínica Girassol, receberam alta, ontem, data em que o país completou oito dias sem registar novos casos desta pandemia, revelou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Por:Maria Teixeira 

Franco Mufinda declarou que se mantêm os 19 casos confirmados de Covid- 19, dos quais, dois óbitos, cinco recuperados e 12 pessoas em acompanhamento. O estado clínico dos pacientes internados é estável. “Toda via, dos cinco recuperados, dois deles tiveram alta e já se encontram em suas residências”, garantiu. Em termos de casos suspeitos não mudou, o país continua com 368, sendo que os casos seguidos passam das 600 pessoas. Em quarentena institucional se encontram 448 e 37 receberam alta ontem.

O governante salientou que a actividade laboratorial permanece inalterada. No período em referência, fez-se somente a recepção dos cinco mil testes referidos no dia anterior, Quarta-feira, e estão nesse momento a fazer aquilo que se chama de teste de concordância. “Vamos avaliar a acessibilidade destes testes e a sua especificidade. Iniciamos o estudo hoje (ontem), realizando em pelo menos 200 sujeitos. Vamos comparar este teste rápido com o confirmador para ver até que ponto é tão sensível e específico”, frisou. Por outro lado, explicou que o que se espera de um teste rápido é a forma de trazer à tona os casos positivos. Porém, só se vai dizer que são pessoas positivas, mas especificamente infectadas com a Covid- 19 há que voltar a fazer o teste de RT-PCR e dar positivo. Este último teste já existe no país e pretende- se expandir estes procedimentos às demais províncias.

Franco Mufinda descreveu as localidades onde estão situados os casos para se poder perceber o peso de cada localidade. Entretanto, contou que o número maior é encontrado no município de Belas, com nove casos, a seguir Maianga e Viana com três casos cada, sendo que Talatona, Sambizanga, Ingombota e Kilamba Kiaxi respectivamente com um caso, perfazendo um total de 19 casos positivos até ontem. Deste modo, a província de Luanda continua a ser a única acometida. Neste momento, a faixa etária continuar a a ser de um ano a 62 anos de idade, havendo maior predominância do sexo masculino com 13 casos positivos, contra seis do sexo feminino. O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) não registou, nas 24 horas anteriores, nenhuma denúncia de violações de quarentena domiciliar. No entanto, cinco alertas de casos suspeitos foram reportados e investigados, mas descartados, por não reunirem os pressupostos de definição de casos suspeitos de Covid-19.

Médicos e medicamentosos distribuídos pelas províncias

De acordo com o governante, a comissão fez a recepção de meios médicos e medicamentosos decorrentes das aquisições que vai realizando e a distribuição destes a nível das províncias. Uma tarefa realizada pela central de compras de meios médicos do Ministério da Saúde. Entretanto, continuam as actividades de vigilância epidemiológica, sobretudo a busca activa nas unidades sanitárias, começando por unidades menores, que são os postos de saúde, passando pelos centros de saúde, entre outros. “Temos, portanto, o pessoal de saúde preparado para poder esperar qualquer caso em função respiratória aguda que por aí passar.

São esses casos que nos vão guiar daqui em diante, para poder descartar uma provável Covid-19 que anda por aí na comunidade”, frisou. Fez saber que na próxima semana vão a comunidade, uma vez que já não têm os casos registados na base de denúncias. “Por essa razão, vamos cada vez mais entrar na comunidade em busca dos casos”. Entre as medidas de protecção, realçou a permanência das pessoas em casa, a observância do isolamento social, bem como lavar frequentemente as mãos. “Só fazendo isso e observando as medidas constantes do estado de emergência, nos leva a evitar 70 por cento dos casos de Covid-19”, garantiu Franco Mufinda.

error: Content is protected !!