Candidato à presidência da APF Zaire diz que elenco cessante não trabalha

O candidato à presidência da Associação Provincial de Futebol (APF) do Zaire, Paulo Kaká, revelou que o elenco cessante de que faz parte o secretário-geral, António Lopes Lino, não cumpriu com o seu papel

Por:Mário Silva

O empresário e dirigente desportivo, Paulo Kaká, acusou, ontem, a direcção da Associação Provincial de Futebol (APF) do Zaire de nada ter feito para o desenvolvimento da modalidade na província. Por este motivo, Paulo Kaká assumiu que vai candidatarse à presidência da instituição, cujas eleições estão adiadas “sine die”, devido ao novo Coronavírus (Covid-19), tendo em vista o quadriénio 2020/2024, para mudar o quadro. Aliás, o homem que vive o futebol como ‘pão para comer’, lamentou o facto de os responsáveis da APF demarcarem-se dos problemas que os clubes apresentam diariamente na realização dos seus trabalhos. “Temos muitas equipas ao nível da província, mas não temos APF capaz de ajudar os clubes rumo ao desenvolvimento”, deplorou. O empresário também pretende unificar os clubes dos seis municípios da província, o mesmo entende que o desenvolvimento do futebol não é só em dar apoio à Académica do Soyo e o São Salvador. “Queremos massificar o futebol em todas as equipas da província. Depois vamos lutar para colocar um representante no Girabola, Campeonato Nacional de futebol da primeira divisão”, garantiu. Paulo Kaká revelou que para dirigir uma associação não é necessário grandes patrocínios, ou seja, primeiro tem que se identificar o que as equipas precisam, após saber, deve-se encontrar a solução.

error: Content is protected !!