BDA divulga modalidades de acesso aos financiamentos Covid-19 sob sua gestão

Através de sítios na Internet e em folhetos digitais a instituição publicita as pré-condições de acesso aos seus financiamentos ao mesmo tempo que se disponibiliza a prestar informações adicionais aos interessados.

O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) encoraja os empresários a submeterem candidaturas para acessar aos fundos disponibilizados pelo Governo no âmbito da operação “alívio dos efeitos económicos e financeiros negativos provocados pela Covid-19”. As propostas podem ser submetidas através do correio electrónico [email protected] e devem cumprir requisitos previamente estabelecidos pela instituição que é uma das três incumbidas pelo Executivo a materializar as emanações do Decreto Presidencial nº 98/20 de 2 de Abril.

Para efectuar pedido de crédito e avaliação o interessado deve juntar à proposta a apresentar a sua certidão de registo comercial actualizada, cópia de cartão de contribuinte, licença para exercício da actividade e demonstrações financeiras auditadas nos últimos três anos para aqueles cujo início de actividade tenha mais do que este período de tempo.

Aos sócios das empresas é solicitada a juntarem cópias actualizadas dos seus Bilhetes de identidade e Cartão de Contribuinte, assim como dos seus cônjuges e Certificado do registo Criminal. Nesta operação, as garantias exigíveis são dentre outras “penhor mercantil ou de quotas/acções, hipotecas, Procuração irrevogável, finanças dos sócios/ accionistas e outras condições exigíveis caso a caso”.

O processo deve conter também informações detalhadas sobre o volume de vendas dos produtos, assim como juntar cópia dos contratos e contactos dos fornecedores de produtos objecto do pedido de financiamento. O Banco de Desenvolvimento de Angola ( BDA) tem disponível uma linha de crédito de 26,4 mil milhões de Kwanzas, com uma taxa de 9% e maturidade de 2 anos, carência de capital de 180 dias, para financiar a compra dos operadores do comércio e distribuição aos produtores nacionais. tem ainda uma linha de crédito de 13,5 mil milhões de Kwanzas, com uma taxa de 9%, maturidade de 2 anos, carência de capital de 180 dias, para financiar as compras das cooperativas de produtores familiares e dos empresários agro-pecuários de pequena e média dimensão a fornecedores nacionais de sementes melhoradas de cereais, hortícolas e tubérculos, de fertilizantes, de pesticidas, de vacinas e de prestação de serviços de preparação e correcção de solos agrícolas, priorizando os produtos feitos em Angola.

E, finalmente, disponibiliza uma linha de crédito de 750 milhões de Kwanzas para financiar projectos de modernização e de expansão das actividades de um número máximo de 15 cooperativas por cada província, nos sectores da agricultura e das pescas, com um valor máximo de 50 milhões de Kwanzas, com uma taxa de juro de 7,5% e maturidade equivalente ao ciclo operacional.

leave a reply