Covid-19 adia início da exploração da Mina de Luaxe, com reserva estimada em 350 milhões de quilates

O início das explorações da mina de Luaxe, na província da Lunda-Sul, teve de ser adiado face ao surto do novo Coronavírus. Hoje 27 de Abril, celebra-se o dia Nacional do trabalhador Mineiro

 

Com a entrada em funcionamento da mina de Luaxe, prevê-se até 2022 a exploração de 14 milhões de quilates, o que representaria o dobro da produção actual cifrada em 9,2 milhões. Entretanto, o exito dessa exploração fica condicionado face à pandemia da Covid-19, que fez adiar o início das explorações. Numa altura que se celebra hoje, 27 de Abril, o Dia do Trabalhador Mineiro, os profissionais deste sector buscam soluções para contrapor as consequências da crise provocada pela pandemia da Covid-19, que fez com que os principais mercados de compra e venda de diamantes fechassem, o que está a impedir que as empresas obtenham receitas. O director-geral de Catoca, Paulo Benedito Manuel, considera que vive-se um momento difícil, mas que será ultrapassado, conforme foram ultrapassadas outras situações desafiantes, como foi o facpeculiar”, rematou o responsável.

Mercados encerrados

Os Estados Unidos da América e a China, actualmente as maiores regiões de consumo de diamantes, têm os seus mercados encerrados, preocupados em combater a Covid-19. As empresas do sector vivem dias difíceis, tão desafiantes que estão a levar as mesmas a desenvolver planos de crise, conforme está a acontecer com a Sociedade Mineira de Catoca, a mineradora responsável pela produção de mais de 75% dos diamantes de Angola.

A mina

Com uma reserva estimada em 350 milhões de quilates, os trabalhos de prospecção geológica e levantamento geofísico da mina de Luaxe tiveram início em 2008, permitindo a descoberta do kimberlito em 2009. A mina ocupa uma área de 100 hectares e está projectada para atingir a profundidade de 400 metros. Saliente-se que o Dia Nacional do Trabalhador Mineiro foi instituído em 1985 pelo então Conselho de Defesa e Segurança de Angola, em reconhecimento ao importante segmento da economia nacional, que transforma em riqueza os recursos minerais que o país dispõe. to de ter de trabalhar em situação de conflito armado na década de 90, a crise económica e financeira de 2008 e muitos outros obstáculos que surgiram ao longo da historia da mineração, e foram corajosamente ultrapassados.

“Felicitamos, em primeiro lugar, a todos os funcionários e funcionárias de Catoca por todos os dias contribuírem com o seu conhecimento e trabalho no desenvolvimento do sub-sector dos diamantes, elevando o perfil público do trabalhador mineiro como um profissional que se destaca como peça importante do nosso processo de desenvolvimento económico e social”, apontou o responsável. Na mesma ocasião, salientou o trabalho em equipa, por ser salutar , daí que agradece os esforços empreendidos por cada um dos profissionais, que têm vindo a aplicar no sentido de combater-se esta pandemia. “Juntos conseguiremos vencer a Covid-19 e acreditamos que muito brevemente retomaremos a dinâmica que nos é

leave a reply