Empresários aplaudem a medida de redução do Imposto Industrial

Os empresários foram unânimes em aplaudir aprovação da taxa de redução do imposto Industrial de 30 para 25%. A medida vai incentivar a produção nacional

Por:Patrícia de Oliveira 

O presidente da Confederação Empresarial de Angola (CEA), Francisco Viana, enalteceu a iniciativa, que irá ajudar no desagravamento fiscal a classe empresarial, propondo que 2,5 % revertessem para um fundo de apoio e capacitação das associações angolanas. O empresário lembrou, por exemplo, que em vários países as associações empresariais auferem apoios para a capacitação institucional. Deste modo, permite- se melhor enquadramento dos empresários e a organização de actividades de formação, para que sejam bons parceiros do Executivo no desenvolvimento económico . “As associações precisam de um fundo que apoie a sua capacitação, pelo facto de muitas vezes terem de recorrer aos parceiros, que já assumem um grande papel. As associações não têm meios adequados para fazer este trabalho”, explicou.

Para o presidente da Associação Agro Pecuária, Comercial e Industrial da Huíla, (AAPCIL), Paulo Gaspar, as medidas de redução fiscal são essenciais para o desenvolvimento do sector produtivo e da economia no geral. “Com a redução da taxa do Imposto Industrial e da agricultura, o Executivo poderá ter maior quantidade de empresários a cumprir o seu dever e a ajudar o Governo a obter grandes rendimentos, explicou. O responsável disse ainda que, com a redução do Imposto Industrial, haverá mais empresas a entrarem no mercado . Deste modo, cresce o número de empregos no país e as famílias vão consumir mais produtos com o pagamento do imposto de valor acrescentado (IVA).

Por sua vez, o presidente da Associação Nacional dos Avicultores de Angola (ANAVI), Rui Santos, também aplaude a medida , apesar de considerar o valor reduzido. O empresário reconhece o esforço do Governo e diz ser esta uma fase difícil. Por tal motivo, diz, é necessário fazer crescer a produção nacional o mais depressa possível. Logo, os produtores devem ser estimulados . No seu entender, o Estado deveria eliminar o Imposto Indusrial nos primeiros anos pós financiamento e reduzir o seu valor em grande percentagem, para permitir que a classe empresarial aumente a produção a curto prazo. “Enquanto as empresas estivessem sob tutela do financiamento, deveriam pagar uma pequena percentagem . Tão logo se desse o término do crédito, poder- se-ia pagar na totalidade ou uma outra medida benéfica , defendeu.

Neste momento, o valor da taxa do Imposto Industrial na região da África Austral, tem média de tributação de 27%. Assembleia Nacional aprovou a redução do Imposto Industrial na Sexta-feira, 24, de 30 para 25%. A medida pode implicar uma perda de receita fiscal directa para os cofres do Estado, no entanto , dará às empresas maior crescimento financeiro para reinvestirem o seu capital. De mesmo modo, foi aprovada a redução da taxa do sector agrícola dos actuais 15% para 10%, “como mecanismo de fomento deste sector”.

leave a reply