Dirigente angolano satisfeito com a decisão financeira do COI

O secretário-geral do Comité Olímpico Angolano, António Bambino, mostrou-se satisfeito com o financiamento que vai receber do COI para algumas despesas dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2021, no Japão. Em declarações à imprensa, o responsável referiu que o Comité Olímpico Internacional (COI) vai disponibilizar verbas a todos os seus filiados, uma vez que à Covid- 19 castiga financeira e economicamente o mundo. Por esta razão, a festa do olimpismo foi cancelada e só se realiza em 2021 se a situação estiver controlada, segundo o presidente do COI, Thomas Bach. António Bambino fez saber que a medida do órgão internacional permitirá que se prepare os jogos, porque as despesas continuam a ser superiores às receitas. Aliás, muitas delegações corriam o risco, se a festa se realizasse este ano, de reduzir membros e atletas por falta de verbas.

Em nome do COA, Angola não ficaria atrás, uma vez que o desporto nestas paragens vive dias financeiros muitos difíceis. “Apoio a medida do COI e espero que as coisas melhorem no próximo ano, porque pretendese participar com mais modalidades”, adiantou o secretáriogeral do COA. António Bambino fez saber que quando tiverem mais informações sobre as modalidades de financiamento terão melhores condições para traçar os planos. Está prevista uma verba avaliada em dez milhões de dólares norte-americanos para os 185 filiados do Comité Olímpico Internacional. Nos Jogos Olímpicos de 2021, Angola vai participar em cinco disciplinas, nomeadamente: andebol feminino, judo, natação e vela. A modalidade rainha, o basquetebol, que vive dias difíceis no país, disputa o torneio de qualificação aos jogos que a Lituânia vai acolher nos próximos meses.

error: Content is protected !!