Ex-ministro de Estado e juiz apanhados a violar cerca sanitária

O porta-voz do Ministério do Interior, subcomissário Waldemar José, revelou, ontem, em Luanda, que o ex-ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Frederico Cardoso, e o juiz de direito da Comarca do Namibe Januário Katengo foram apanhados pelas forças da ordem a violar a cerca sanitária, em situações destintas

Por:Maria Teixeira

O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior declarou, ao apresentar o balanço das actividades das Forças de Defesas e Segurança no âmbito da prevenção e combate à Covid-19, que as duas entidades foram retidas e orientadas a regressar às suas residências. Waldemar José contou que o juiz Januário Katengo foi apanhado no interior de um caminhão de carga que saía de Luanda com destino ao Namibe.

Por outro lado, não precisou em que modelo de viatura o antigo colaborador directo do Presidente da República, João Lourenço, foi apanhado em flagrante e nem qual era o seu destino. Ele foi exonerado do cargo em Abril deste ano, sendo substituído por Adão de Almeida. De realçar que antes de exercer esse cargo, Frederico Cardoso foi durante muitos anos secretáriogeral do Conselho de Ministro e é um dos escritores mais consagrado da nossa praça, com o pseudónimo de Roderick Nehone. Por outro lado, o porta-voz do Ministério do Interior anunciou que a partir dos próximos dias vão passar a tornar pública a identificação das entidades do Estado que tentarem violar a lei do estado de emergência. “Vai aqui o alerta a todos os cidadãos:

A lei é para ser aplicada a todos os cidadãos, sem excepção. Princípio de igualdade. Aqueles que violarem as diposições legais nos próximos dias, independente da sua qualidade, da sua posição, estatutos, a lei será aplicada conforme e em função do grau da infracção que cometer”, alertou. De acordo com Waldemar José, se tem registado grande movimento de cidadãos, o que constitui violação ao estebelecido pela cerca sanitária. Esta estabelece o levantamento a nível provincial com o propósito do exercício da actividade comercial e não para questões de lazer, visita familiar ou outro assunto que não seja o exercício comercial. Fez saber que foi verificado, nas 17 províncias, um movimento fora do âmbito normal, razão pela qual começaram, desde ontem, a adoptar algumas medidas de confinamento e de verificação de quem efectivamente está em condições de circular nessas províncias.

“O mais estranho é que no dia de hoje, e com alguma preocupação, lamentamos dizer isso, até entidades do aparelho de Estado. Algumas até já foram, representaram e dirigiram determinados Ministérios e, pela sua magnitude, deveriam ser exemplo para os demais cidadãos, desobedeceram”, contou. Em seu entender, tais entidades deveriam servir de exemplo abstendo- se desse tipo de atitudes. Por outro lado, contou que muita gente violou a cerca sanitária em Luanda e Benguela no período acima referido, inclusive há pessoas detidas por terem exibidos credenciais falsas. Anunciou ainda que entrar e sair de Luanda tornou-se um negócio que para muitos está a render. Em consequência, muitos cidadãos estão detidos e serão apresentados nos próximos dias.

Angola sem novos casos de Covid-19 nas últimas 72 horas

O país continua com os 27 casos positivos de Covid-19 de há três dias, dos quais sete curados, dois resultaram em morte e 18 são positivos activods que se encontram nas unidades sanitárias de referência e estão clinicamente estáveis, garantiu, ontem, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda O governante, que falava na mesma ocasião, disse que não houve alteração dos dados estatísticos e que a equipa de resposta rápida recebeu dois alertas de casos suspeitos, porém, após investigação um foi validado e outro descartado porque não reunia os pressupostos de casos suspeitos.

Em relação ao trabalho desenvolvido pelos técnicos do laboratório do Instituto Nacional de Investigação de Saúde, declarou que conseguiram, até a data presente, ter colher 2.203 amostras, das quais 27 tiveram desfecho positivo, 278 negativas e 498 em processamento. “Em quarentena institucional temos 816 pessoas, distribuídas em todo o país. E dos casos suspeitos investigados até à data, temos um acumulado de 406 sujeitos. Os contactos directos e ocasionais são avaliados em 955 pessoas”, disse. Por outro, esclareceu que a definição etária dos casos confirmados no país vai a volta dos 15 aos 54 anos de idade, sendo 80 por cento dos 27 positivos até ao momento. A província de Luanda continua a ser o epicêntrico e o município de Belas o mais acumulado, por concentrar mais de 60 por cento dos casos confirmados. Quanto ao Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), Waldemar José disse que recebeu, nas últimas 24 horas, 122 chamadas, todas relacionadas com pedidos de informações sobre a Covid-19.

leave a reply