Número de famílias vulneráveis duplica no distrito 11 de Novembro

O número de família vivendo em situação de vulnerabilidade cresceu de três mil para mais de seis mil no distrito urbano 11 de Novembro, município do Cazenga, em Luanda, por causa do estado de emergência que o país vive, resultante da pandemia Covid-19

Por:Stela Cambamba

O administrador do distrito urbano 11 de Novembro, Célsio de Carvalho, disse, ontem, ao Jornal OPAÍS, que na sua jurisdição, fruto do isolamento social devido à pandemia da Covid-19, o número de famílias em situação vulnerável duplicou. Têm realizado diversas acções para evitar o contágio, sobretudo apoiando as famílias mais carenciadas com cestas básicas. A distribuição vai na quarta fase e mais de 600 famílias beneficiaram das cestas. Em função do estado de emergência que o país vive, o número de famílias carenciadas tem vindo a aumentar, em comparação ao período anterior, uma vez que muitas famílias garantem o sustento a partir do mercado informal – este que tem funcionado “a meio gás”

“Das três mil famílias registadas, actualmente contamos com mais de seis mil famílias vivendo em situação de vulnerabilidade e o número tem vindo aumentar cada vez mais”, lamentou, Celso de Carvalho. Por isso, apela a outras entidades, que também enfrentam dificuldades de ordem financeira, no sentido de ajudarem estas famílias. Disse ainda que apesar da situação, alguns apoios têm surgido do Governo Provincial, por exemplo, e outros parceiros privados, e na última Quarta-feira a Administração distrital recebeu 147 cestas básicas.

As cestas eram compostas de arroz, massa, óleo vegetal, sabão e lixívia, entre outros produtos que foram distribuidos com o apoio das comissões de moradores dos nove bairros que compõem o distrito. Entretanto, sobre as últimas chuvas que caíram na cidade de Luanda, Celso de Carvalho afirmou que não causaram danos alarmantes, como casas inundadas, desabamentos ou famílias desalojadas, comparativamente aos anos passados. “Nós fizemos trabalhos de sucção, perfilamento, desassoreamento das bacias existentes na zona, que retêm as águas que ficam submersas. Hoje, as bacias não tranbordaram e os danos foram todos controlados”, assegurou. O único problema registado foi o estado das vias, que ficaram alagadas e criaram transtornos em termos de circulação.

Centro de saúde Paz beneficia de 20 viseiras

Ainda na senda da luta contra o contágio pelo novo Coronavírus, o administrador do distrito urbano 11 de Novembro, Célsio de Carvalho, de modo a garantir a segurança dos funcionários do centro de saúde Paz, entregou à direcção da unidade sanitária 20 viseiras. Na ocasião, o membro do conselho de direcção e especialista em enfermagem, António Nimi, que fez a recepção do material, congratulou- se com a iniciativa do gestor, tendo explicado que, as viseiras serão de grande ajuda no exercício das funções dos trabalhadores, tendo em conta que o centro Paz é a unidade sanitária de referência do distrito urbano, onde são prestados 70% dos serviços de saúde à população. Celso de Carvalho frisou que a aquisição das viseiras só foi possível devido à gentileza da Administração do Sambizanga, no quadro das boas relações de amizade e cooperação existentes entre os dois distritos (Cazenga e Sambizanga).

error: Content is protected !!