O editorial:Que não seja demasiado tarde

Alguma coisa não está a correr bem em Angola. Alguma coisa não está a ser bem entendida. Ou, se calhar, precisa-se de um tratamento de choque, que não passa pela acção policial, mas pela realidade dura e crua da doença do novo Coronavírus. O problema é que quando ela se revela dura já é demasiado tarde. O caldeirão está lentamente a entrar em ebulição. As pessoas não percebem que quatro casos de transmissão local são, necessariamente, muitos mais casos ainda não detectados, que se podem estar a disseminar todos os dias. Os angolanos não querem ver o perigo a que se expõem todos os dias. A resistência ao confinamento ao menos fosse acompanhada de actitudes positivas, mas isto não acontece. As pessoas comportam-se como se estivessem condicionadas, telecomandadas para uma actitude suicida.

error: Content is protected !!