Luandenses saíram mais à rua em Abril para compras

Comprar o que comer, mesmo com preços cada vez mais proibitivos, continua a ser a principal razão de saída de casa dos residentes na capital angolana, que agora começam a sentir-se “preocupados, cansados e saturados” diante das consequências da Covid-19

 

Um total de 97% de inquiridos em Luanda afirma que “desde o início em Março do estado de emergência” alterou a forma como faz compras. Os luandenses “passaram a comprar menos quantidade” (62%) mas, em simultâneo, a “gastar mais”. Os que compram menos e gastam mais justificaram a situação com o aumento dos preços (98%), enquanto outros afirmaram que deixaram de comprar a grosso ou em sociedade com vizinhos, modalidades em que os preços são mais acessíveis.

O total de cidadãos que ia às compras no início do mês passado correspondia a 81% do total de inquiridos, cifra que se manteve até ao último dia do mês de Abril, ficando demonstrado que esta é uma das principais razões que motivaram os luandenses a sair de casa nos últimos 30 dias. A televisão continua a ser o media predilecto dos luandenses nesta estado de confinamento. No início de Abril eram 82% os que preferiam o pequeno ecran para, preferencialmente ver noticias, e este número aumentou para 87% no final de Abril. A Marktest (autora do estudo) perguntou aos inquiridos quanto ao seu estado de espirito.

De uma forma geral, os luandenses continuam a estar “preocupados”diante da pandemia da Covid-19 (55%), enquanto uma franja está “confiante” (38%), e outros ainda ansiosos ou stressados (31%) e cansados ou saturados (14%). O receio de ser contaminado (43%) e a falta de alimentos (15%) são as duas situações que melhor traduzem o estado de espirito dos luandenses. A sondagem foi realizada pela Marktest Angola sobre um universo de população residente na província de Luanda com 15 ou mais anos, numa amostra de 300 entrevistas com recurso às bases de contactos telefónicos da empresa. A recolha da informação ocorreu entre os dias 28 e 30 de Abril de 2020 e os resultados publicados a 1 de Maio de 2020.

error: Content is protected !!