Caso 26 eleva para 36 o número de infectados pela covid-19

nas últimas 24 horas foi confirmado mais um caso de transmissão local de Covid-19 no país, perfazendo um total de 36 casos confirmados. Trata-se de um menor de 15 anos de idade, contacto directo do paciente indicado como “Caso 26”, anunciou, ontem, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

O secretário de Estado para a Saúde Pública esclareceu, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, em Luanda, que o menor de 15 anos que testou positivo do SARS-CoV-2, passando Angola a ter o registo de nove casos de transmissão local, “trata-se de um compatriota, infelizmente contacto directo do Caso 26, que se encontra, nesse momento, internado”, frisou. Recordou que o “Caso 26” é um cidadão que veio de Portugal no dia 18 de Março e tem cerca de 25 contactos directos, havendo todo um trabalho de investigação em curso.

O “Caso 26” já está na origem de oito casos positivos. “O que nós fizemos foi justamente montar as cercas sanitárias nos bairros Cassenda e Futungo. E também estamos a proceder à desinfecção das ruas, dando o apoio dos psicológicos às famílias e, sobretudo, a redobrar a vigilância epidemiológica activa dos contactos dos contactos”, garantiu. Assim sendo, do ponto de vista estatístico, o país tem 36 casos confirmados, dos quais dois óbitos, 11 recuperados e 23 activos e clinicamente estáveis.

Entretanto, O Centro de Segurança Púbica (CISP) recebeu 146 chamadas, das quais 145 foram pedidos de informação sobre a Covid-19 e uma denúncia por violação de quarentena domiciliar. O secretário de Estado para a Saúde Pública fez saber que ontem foi realizada a segunda testagem dos médicos cubanos, sendo que as suas locações nas províncias está prevista para esta semana. “Estamos também a realizar a testagem aleatória dos funcionários do Ministério da Saúde e do Banco BAI”, disse.

Franco Mufinda fez saber que o trabalho laboratorial aponta para um corte de 4.075 amostras colhidas, sendo 36 positivas, 3.414 negativas e 625 estão em processamento.

Disse que 1.005 pessoas se encontram em quarentena institucional em todo o país, enquanto os casos suspeitos investigados são 414 e os contactos directos e ocasionais somam 1996.

Mais 12 passageiros que testaram voluntariamente em calumbo

As províncias do Bengo, Cuanza-Norte, Cuando Cubango, Cabinda, Huambo, Moxico, Uíge e Cunene procederam à realização de recolha de amostras e a sensibilização da população sobre a Covid-9, bem como à investigação de casos suspeitos e a desinfecção de viaturas de ruas. Franco Mufinda contou ainda que o Centro de Quarentena de Calumbo registou o ingresso de mais 12 de pessoas, passageiros provenientes de Portugal que não cumpriram a testagem voluntária, elevando a o número para 17 cidadãos e a sua saída será ditada pelo resultado da testagem.

Para a prevenção, Franco Mufinda apelou ao cumprimento das medidas de protecção, entre elas ficar em casa, lavar frequentemente as mãos com água e sabão, usar a máscara em locais indicados, observar o distanciamento físico e, sobretudo, o acatamento das medidas contidas no Decreto do Estado de Emergência.

Crimes reduzem na vigência do estado de emergência

O porta-voz do Ministério do Interior, subcomissário Waldemar José, revelou, ontem, em Luanda que o país registou menos crimes durante o período de 27 de Março a 25 Abril. O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior declarou que neste período de um mês, no que concerne a tipicidades criminais, Angola registou um decréscimo das cifras criminais, especialmente para aqueles crimes mais complexos ou violentos.

Durante a apresentação dos dados estatísticos dos resultados obtidos pelas Forças de Defesa e Segurança no primeiro mês de vigência do estado de emergência, período que vai do dia 27 de Março ao dia 25 de Abril, fez saber que nesse espaço de um mês Angola registou menos de 60 crimes do que em igual período anterior.

De igual modo, registou-se menos 379 crimes de ofensas corporais do que no período anterior, sendo que nos crimes são cometidos com uso de arma de fogo houve decréscimo: menos 122 crimes. Waldemar José contou que no que concerne a acidentes de viação foram registados 10 acidentes de viação por dia, o que representa um um decréscimo de dois por dia. Relativamente às detenções em todo o país, esclareceu que foram efetuadas 5.859 detenções, das quais 516 pessoas foram julgadas sumariamente.

“Dessas detenções, de foram categorizadas 2.823. Tudo porque não houve observância do respeito à cerca sanitária e casos de violação das nossas fronteiras por parte de cidadãos estrangeiros”, esclareceu. Entretanto, contou que houve também a detenção de 1.729 cidadãos por não respeitarem a disposição que diz respeito ao não exercício da actividade de moto-táxi e 775 cidadãos foram detidos pela não observância da lotação dos táxis. Por outro lado, 51 responsáveis de várias confissões religiosas foram detidos. Por fim, disse que 9.630 cidadãos foram recolhidos das raus, por estarem a circular indevidamente.

error: Content is protected !!