FK-Eventos reanima esperança de melhorias em bairros do Lobito

trata-se de umorganizador de eventos académicos e culturais, constituída em Outubro de 2018, que, desde então leva a cabo a realização de palestras de sensibilização e de projecção de soluções, nas quais o munícipe deve ser o principal partícipe e activo para resolução de problemas

È por via do projecto cultural “Noite à volta da fogueira” que o responsável da FK-Eventos, Félix Kibeka, vai congregando, periodicamente, residentes e figuras mais influentes dos bairros seleccionados do Lobito, a fim de se discutirem os problemas actuais e se encontrarem soluções viáveis. Numa lista que integra, com bastante prioridade, a dificuldade de acesso, conforme fez questão de referenciar o interlocutor de O PAÍS, não ficaram de parte o precário saneamento básico, a falta de escolas, centros médicos e outros serviços sociais capazes de atenderem a demanda.

Para Junho próximo, a fogueira está preparada para acender no bairro São João, na conhecida alta do Lobito, onde, esperando contar com a participação do administrador municipal e seus mais directos colaboradores, além de entidades nativas que se notabilizam na área cultural, académica e social, se prevê encontrar soluções para os problemas candentes de um subúrbio que Félix Kibeka não tem receio de considerar como autenticamente esquecido. O responsável da FK-Eventos lembrou que o que a sua empresa vai fazer nos bairros não é executar obras para melhorar estradas, saneamento básico ou conceder emprego, mas ajudar os residentes a tomarem consciência de que as primeiras soluções dos problemas que os cercam dependem da sua contribuição.

“Outro esforço que fazemos tem a ver com o facto de facilitarmos, nos nossos encontros, a presença dos dirigentes do município, autoridades tradicionais, homens da ciência e fazedores de opinião, de modo que o cidadão ganhe confiança de que a sua preocupação está a ser ouvida por quem decide e registada por quem a pode estruturar de forma científica, além de se certificar de que o seu contributo prático para mudar qualquer quadro do bairro é registado como vontade comunitária.

Fazendo alusão sobre uma recente experiência ocorrida a 2 de Fevereiro do corrente ano, em que, na escola Mutu-Ya-Kevela, no Bairro da Luz, reflectiram sobre o estado avançado deste estabelecimento de ensino, uma situação que encontrou esperança de solução na criação de uma associação de exestudantes da referida instituição escolar, Felix Klibeka mostrou-se bastante confiante de que os resultados aparecem se cada um sair de casa por uma causa nobre.

Questionado se o actual momento de estado de emergência, por causa da Covid-19, não os obriga a adiar a actividade do próximo mês, Felix Kibeka revelou que gostaria de fazer coincidir a actividade que a sua organização agendou com a jornada de comemoração do bairro São João. “No caso concreto do bairro São João, pretende-se realizar no princípio de Junho deste ano uma edição especial na escola da paróquia de São João Baptista, em alusão ao aniversário do bairro.

Para tal, a organização pretende juntar as mais distintas figuras na Cidade do Lobito, área da Restingativas com posição social referenciada, como citam gestores escolares e professores, destacando a autoridade tradicional do Lobito, o soba Afonso Sukumula e seus adjuntos ligados ao bairro do São João”, realçou o entrevistado. A FK-Eventos pretende ainda contar com o administrador municipal do Lobito, Carlos de Vasconcelo, “Kaká” e dois dos seus adjuntos, que, por sinal, não se têm mostrado indiferentes a convites do género, de acordo com o também membro do Conselho Municipal de Auscultação das Comunidades da Administração Municipal do Lobito.

O gradual estado de abandono em que se encontra o bairro São João poderá dominar as conversas que vão requerer as medidas da Administração local, em função do PIIM. A possível reabilitação do troço bairro Africano – sede do município da Catumbela, do Bairro da Luz – Calumba, na circunscrição do São João, além do estado da criminalidade e o policiamento na localidade em causa não estarão de parte. Numa altura em que a Administração do Lobito destruiu totalmente o histórico mercado do Chapanguele e se prontificou em organizar outro, curiosamente nas imediações do São João, embora com timing excedido, Félix Kibeka vê o saneamento básico, a delinquência e o acesso a piorarem, nesse bairro.

Biblioteca com mais de 500 livros

Uma outra associação que será chamada ao certame de Junho próximo será a dos Jovens Unidos do São João, criada neste ano, que se debate com a criminalidade e a falta de opção de lazer no subúrbio. O facto desta agremiação social ter criado uma biblioteca comunitária, na localidade, com mais de 500 livros, além de ter realizado, desde o início de Fevereiro último, várias actividades que visaram mudar a dinâmica social dos jovens do bairro, por via de palestras, agradou a FKEvento que a classificou como um verdadeiro parceiro para a causa da situação. Acreditando que o mês de Maio seja o último da perturbação total da Covid-19 em Angola, o responsável da FK-Eventos assegurou, finalmente, que a actividade programada vai mesmo acontecer, ainda que a data tenha de ser adiada para outro mês.

error: Content is protected !!