JMPLA defende uso das redes sociais no combate à covid-19

a organização politica juvenil do MPLA defende que, por serem espaços que aglutinam muitas pessoas e de diferentes estratos sociais, as redes sociais, com destaque para o WhatsApp e Facebook, podem constituir verdadeiros aliados na promoção das medidas de prevenção e combate à pandemia Covid-19

O secretário nacional da JMPLA, Crispiniano dos Santos, apelou aos jovens a usarem as redes sociais como ferramentas para a prevenção e combate à Covid-19. Segundo o político, por serem espaços que aglutinam muitas pessoas e de diferentes estratos sociais, as redes sociais, com destaque para o WhatsApp e Facebook, podem constituir-se em verdadeiros aliados na promoção das medidas de prevenção e combate à pandemia da Covid-19. Para Crispiniano dos Santos, que falava em entrevista a OPAÍS, ao inves de os jovens partilharem conteudos imorais ou que atentam contra a honra alheia, devem aproveitar o actual estado de emergencia para divulgar mensagens positivas e políticas publicas em curso, visando a prevenção e combate à Covid-19.
“Podemos melhorar a nossa forma de estar nas redes sociais. Os nossos pequenos gestos podem ajudar a salvar vidas”, frisou.

Ao encontro da juventude Ainda no ambito do uso responsavel das redes sociais, o dirigente político fez saber que a sua organização vem desenvolvendo uma série de entrevistas com figuras do Executivo com vista a dar a conhecer os programas públicos que visam a melhoria e satisfação das necessidades da juventude angola, independentemente da cor partidária.

Conforme explicou, as entrevistas, que são feitas por via de plataformas digitais, assumem-se como um espaço de debate e interacção entre governados e governantes. No seu entender, apesar de o país viver um período de confinamento social, é necessario que a juventudes esteja por dentro das políticas públicas de realização das suas necessidade.

“É necessario que haja constante interacção entre governados e governantes. E nós, JMPLA, temos vindo a promover debates nessa direcção”, frisou.

Criatividade

Ainda de acordo com Crispiniano dos Santos, no actual contexto de confinamento social, os jovens podem socorrer-se das redes socias para promoverem atitudes que levem ao fortalecimento da sociedade. Conforme disse, actualmente, os jovens devem representar, a par dos médicos, os combatentes da linha da frente nas questões preventivas e de combate ao coronavirus. “Mais do que criticar, devemos nós, os jovens, ser os agentes e promotores das boas práticas. É nessa altura que o país nos precisa para ajudarmos nas acções do Executivo de salvaguarda do bem vida”, apontou.

error: Content is protected !!