Médicos cubanos testam negativo para a Covid-19

237 profissionais de saúde cubanos testaram negativo para a Covid-19, sendo que o quadro epidemiológico do país mantém-se com 36 casos confirmados, entre os quais dois óbitos e 11 recuperados, informou, ontem, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

Franco Mufinda disse que os profissionais de saúde cubanos, cujos resultados do exame de Covid-19 deu negativo, começaram ontem a ser enviados às províncias do país. “Nesta senda, foram para as províncias da Huíla, Bié, Moxico e Namibe um número de 53 médicos cubanos”, frisou. O restante contingente será encaminhado hoje para as províncias do Bengo, Benguela, Cabin
da, Cuando Cubango, CuanzaSul, Huambo, Lundas Norte e Sul, Malanje, Uíge e Zaire. Entre os que permaneceram em Luanda, está uma técnica que se encontra a ser assistida pelo facto de estar infectada pela Covida-19.

O secretário de Estado para a Saúde Pública declarou, ao apresentar o habitual balanço diário sobre a situação epidemiológica do país, que o estado de saúde dos 23 pacientes activos que se encontram nas unidades de referência é clinicamente estável. Também, prosseguiu o responsável, “Informamos que nas últimas 24 horas não houve alteração dos dados quanto ao registo de casos novos.

” Por outro lado, contou que em termos de análises laboratoriais, o Instituto Nacional de Investigação em Saúde conseguiu processar um acumulado de 5. 092 amostras colhidas, das quais 36 são positivas, 4.370 negativas e 686 em processamento. Sobre os casos suspeitos validados, Franco Mufinda apontou três, referindo que estão sob controlo da quarentena institucional 1.139 pessoas. “O acumulado, no que respeita aos casos suspeitos investigados até à data, é de 417 sujeitos. E dos contactos directos e ocasionais seguidos temos 1.007 pessoas”, detalhou. Disse que em termos de transmissão local, o país continua nove casos.

Cidadãos continuam a violar quarentenas

Franco Mufinda anunciou que receberam denúncias de violação de quarentena nas províncias de Benguela, Bengo, Cunene, Cuanza- Norte e Huambo, o que mereceu a atenção das autoridades locais. Ao Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) chegaram 145 chamadas relacionadas com pedidos de informação sobre a Covid-19. Entre as actividades realizadas, contou que houve a capacitação dos técnicos de saúde, bem como foi feita a desinfecção dos hospitais e aeroportos.

O governante apelou às pessoas a ficarem em casa, a observarem o isolamento social, bem como lavar frequentemente as mãos com água e sabão, usar máscaras e cumprirem com as medidas contidas no Decreto sobre o Estado de Emergência. De realçar que, para a prevenção e combate à propagação da pandemia da Covid-19, o país observa, desde às zero horas de dia 26 de Abril, o terceiro período do estado de emergência, a vigorar até às 23h59 do dia 10 de Maio, cumprindo-se 45 dias consecutivos de isolamento social, com regime excepcional, desta vez com um aliviar das medidas.

De recordar que o novo Coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, surgiu na China em Dezembro de 2019. O surto espalhou-se pelo mundo e vitimou milhares de pessoas, tendo levado a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia de alcance global.

error: Content is protected !!