Secretário-geral da UEA David Capelenguela reage à morte de Jimmy Rufino

O escritor que completaria este Domingo, 58 anos, deixou organizados vários trabalhos, cuja publicação em livro ocorreria nos próximos dias

O secretário-geral da União dos Escritores Angolanos, David Capelenguela, manifestou-se consternado com a morte do escritor e jornalista, Jimmy Rufino, membro da referida instituição ocorrida nesta Terça-feira, 5 de Maio, em Luanda, por doença. O também escritor destacou as qualidades do malogrado, sublinhando que é com profunda dor e consternação que a União dos Escritores Angolanos, a maior Casa das letras do país, tomou o conhecimento do seu passamento físico. Nessa hora de profunda dor e consternação, acrescenta, a União dos Escritores Angolanos endereça à família, aos membros da UEA e amigos os seus sentimentos de pesar.

Jimmy rufino deixou organizados vários trabalhos, cuja publicação em livro ocorreria nos próximos dias. O escritor nascido a 10 de
Maio de 1962, em luanda, era Jornalista Cultural e Económico, tendo enveredado para o universo da escrita em 1982, pela via de pequenas crónicas literárias que eram rádiodifundidas no programa Dia Novo da rádio Nacional de Angola, em cuja redacção cultural colaborou durante vários anos. No mesmo ano, ingressou na Brigada Jovem de literatura em luanda, na qual, por diversas vezes, desempenhou cargos de direcção. Foi colaborador regular do suplemento Vida e Cultura, do Jornal de Angola, tendo coordenado também o Ponto de Partida, suplemento literário da então Brigada Jovem, mensalmente publicado nas páginas do Vida e Cultura.

Em 1988, Jimmy rufino fundou e coordenou a Oficina literária José Martí, no Bairro Popular, tendo-se ainda responsabilizado pelo folheto literário denominado “A Mulembeira”, com circulação no respectivo bairro, na Brigada Jovem de luanda, na rádio Nacional de Angola, e em diversos círculos intelectuais da capital do país. Jimmy rufino possui desde os memoráveis anos 80, diversos textos artísticos, de Ensaio e de Crítica literária, publicados em órgãos e publicações diversas, no país e no estrangeiro.

Auto-didacta, era Investigador Cultural, na vertente do estudo e da pesquisa da Música Popular e do Carnaval Angolanos, da Música e da Cultura Afro-brasileira, as Musicalidades Africanas, a Música NegroAmericana e o Jazz, cujos domínios permitiram a elaboração de alguns ensaios destinados à futura publicação de obras literárias. Jimmy rufino realizou e apresentou programas radiofónicos de análise e divulgação cultural, especialmente na vertente musical, nomeadamente nos programas A grande Musica Negra e JazzJ7, pelas antenas da FM/Stereo, em luanda. Foi desde 1996, membro da União dos Escritores Angolanos.

error: Content is protected !!