RNA “prende” ouvintes associando transmissão online em agradecimento aos profissionais destacados ao combate a Covid-19

Com vista a agradecer aos profissionais que estão na linha da frente do combate à Covid-19, a Rádiodifusão Nacional de Angola (RNA) promoveu um concerto ao vivo a que denominou “Show Obrigado Angola”

Os canais da Rádiodifusão Nacional de Angola (RNA) em parceria com o portal Platinalne, emitiu incluindo as plataformas digitais Facebook e Youtube, neste Sábado, 9, um concerto ao vivo em agradecimento aos profissionais que trabalham na linha da frente contra a disseminação da Covid-19.

Os músicos Kyaku Kyadaff, Jay Lourenzo, Carlos Praia, Anabela Aya, Roxane Fernandez, Branca Celeste, sob condução dos instrumentistas Fredy e Genial, com animada conversa com a locutora Carla Pena da Rádio Luanda, foram os protagonistas da tarde de Sábado sob o mote “Fique em Casa”.

Durante a sua apresentação antes das exibições musicais, Carla Castro ao tomar a palavra, avançou que a iniciativa visava hastear a bandeira da solidariedade, na vanguarda, e numa só voz agradecer a todas as forças que trabalham no asseguramento e controlo da pandemia no país.

Entre esses destacados profissionais que trabalham arduamente nessa campanha que se espera exitosa, realce para as equipas médicas, as forças de defesa e segurança, a comunicação social e todos os cidadãos que fde orma directa cumprem com as orientações e recomendações das autoridades sanitárias.

A Música

Com com conversas a meio de cada intervenção musical, os músicos mostraram-se animados, tendo na ocasião rogado para que esta fase difícil se ultrapasse e que os próximos dias sejam melhores, uma vez que os seus trabalhos dependem muito dos resultados deste processo.

Assim, Roxane Fernandez dedilhou temas do seu reportório assim como fez incursão a outros nomes da música nacional. “Corona” foi o seu primeiro tema a que se seguiu “Teresa Ana” de Waldemar Bastos, assim como “Colou” e “Querida mãe” de Paulo Flores.

Kyaku Kyadaff interpretou “Kilamba”, “Bibi”, tendo igualmente feito uma incursão pelo folclore nacional, recorrendo ao cancioneiro de Teta Lando e André Mingas, onde se puderam ouvir entre vários “Tchipalepa”, “Nvula Yeza Kiá”, “Desportivo de São Paulo” e outras.

Branca Celeste teve um momento áureo ao interpretar “Angola Tropical” de Clara Monteiro. Jay Lourenzo mudou a tónica com ritmos estrangeiros, e Anabela voltou ao país cantando os seus temas, não faltando na sua “playlist” o seu bem cantar com o hit “Tic tac”.

leave a reply