Carta do leitor: O papel da população é essencial

Por: Manuel Pedro
Saurimo

Boa tarde caro director

Uma vez mais venho escrever sobre a pandemia da COVID 19, que já nos levou a mais um estado de emergência, prorrogado pelo Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço.

Quem acompanhou a última reunião do Conselho da República tem quase a certeza de que algumas das aberturas feitas tiveram como base o consenso entre os pares. Um dos argumentos evocados é a falta de condições da população, o que obriga muitos deles a estarem durante dias e horas na rua para terem o que comer e suprir outras necessidades.

Concordamos que tenha sido uma medida necessária, embora os riscos sejam evidentes caso a população não consiga compreender a dimensão do gesto. Não se trata de nenhum favor por parte do Executivo, nem do Presidente da República, mas ainda assim é necessário que esta mesma população compreenda que o mínimo descuido poderá custar caro ao Estado, principalmente nesta fase em que a nossa economia não anda muito bem.

Em muitos países, incluindo os mais desenvolvidos que Angola, o ‘lockdown’ é mais extensivo. Há aqui mesmo em África países que optaram por estender este estado de emergência até aos finais de Maio e princípio de Junho, alguns dos quais em situação económica pior do que a nossa. Por isso, é importante que se reforce a capacidade de sensibilização dos cidadãos angolanos, uma vez que muitos deles ainda pensam que se trata de férias e momento para convívios.

Seguramente que a nossa forma de vida foi alterada drasticamente, mas não havia outro caminho. Não temos outro remédio. Mas um final feliz vai depender sobretudo daquilo que as pessoas fizeram. Não colocando as próprias vidas em risco e muito menos a de outras pessoas, como já o fizeram alguns dos pacientes que testaram positivo, como o conhecido “Caso 26”.

 

error: Content is protected !!