Sebastian Vettel deixa a Ferrari

Ferrari e Sebastian Vettel não chegaram a acordo para a extensão do contrato do alemão com a Scuderia e o excampeão do Mundo de Fórmula 1 deixa a escuderia italiana no final do Mundial de 2020, que continua à espera de ‘luz verde’ para arrancar. Consuma-se, assim, o divórcio prenunciado, aparentemente, por divergências tanto no que respeita à duração do acordo novo quanto sobre salários.

Os transalpinos pretendiam apenas prolongamento da ligação até 2021 e condicionado à redução significativa no vencimento do piloto de 32 anos, que ganha cerca de 40 milhões de dólares (cerca de 36,9 milhões de euros) por temporada.

Mattia Binotto, director da Scuderia, explicou a decisão: “Conversámos e concluímos que era o melhor para as duas partes. Não existem razões específicas, mas tanto a equipa quanto o piloto acreditam que devemos seguir caminhos separados para alcançarem os objectivos que perseguem”.

Sebastian Vettel concordou com o ‘patrão’: “Neste desporto, para sermos bem-sucedidos, temos de trabalhar de forma muito harmoniosa. Concluímos que não há um desejo comum de continuarmos juntos para lá desta temporada. O dinheiro não desempenhou qualquer papel neste tema. Estamos alinhados na forma como pensamos. Os tempos que vivemos ensinam- nos que existem prioridades mais importantes na vida. A Ferrari é muito especial e desejolhe todo o sucesso que merece no futuro. E agradeço aos milhões de ‘tifosi’ por todo o apoio que recebi durante estes anos. Ainda temos uma temporada pela frente e espero que possamos viver mais momentos felizes em conjunto”.

error: Content is protected !!