Presidente da Namíbia corta regalias de ministros na luta contra coronavírus

O presidente da Namíbia, Hage Geingob, anunciou na Sexta-feira medidas de corte de custos para economizar até 200 milhões de dólares namibianos (USD 10,80 milhões) enquanto o país luta contra o impacto do novo coronavírus.

Até agora, o vírus infectou 16 pessoas, com 14 recuperações e zero mortes. Também atingiu fortemente a economia da Namíbia após um bloqueio de cinco semanas que paralisou os sectores produtivos do país.

As medidas do presidente incluem interromper a compra de todos os veículos novos para ministros até 2025, demolir os postos de consultores especiais para os 14 governadores regionais do país e reduzir o tamanho do gabinete para 19, de 26, disse o porta- voz presidencial Alfredo Hengari, na Sexta-feira.

O presidente também limitou o consumo mensal de combustível para os principais políticos, disse Hengari.

Os ministros da Namíbia e seus suplentes se qualificam para um carro de luxo topo de gama, como Mercedes-Benz ou BMW, e um veículo off-road.

As medidas visam ajudar a economizar 200 milhões de dólares namibianos nos próximos cinco anos.

Geingob tem feoto uma ofensiva de charme desde o início de seu segundo mandato em 21 de Março, após uma fraca exibição durante as eleições presidenciais e parlamentares de Novembro de 2019, altamente disputadas no país. Ele tomou medidas radicais em comparação com as suas acções durante o seu mandato anterior de quatro anos e procurou manter o apoio durante o surto de coronavírus. Ele nomeou um dos membros mais jovens do gabinete em África, Emma Theofelus, 23, como vice-ministro da Informação, Comunicação e Tecnologia da Namíbia, uma semana depois que o coronavírus atingiu o país.

O presidente também rompeu com a tradição do partido e nomeou o líder de um partido da oposição como novo vice-ministro da Saúde.

error: Content is protected !!