Desconhecimento sobre coabitação entre Covid-19 e Malária preocupa MINSA

Franco Mufinda falou sobre incertezas relativas aos efeitos da associação Covid-19 – Malária no momento em que o país completava 48 horas sem registar novos casos de pessoas infectadas pela Covid-19, mantendo-se, assim, os 48 infectados, dos quais dois resultaram em óbito e 17 estão recuperados.

Anunciou ainda que entre os casos positivos acima referenciados estão 29 pacientes clinicamente estáveis internados em unidades sanitárias de referência.

Quanto à Malária, Franco Mufinda esclareceu que cada pessoa tem de tomar as medidas de prevenção contra esta doença, que se iniciam no saneamento do meio. “É um exercício simples que podemos realizar nos nossos quintais, começando por sanear as águas paradas, a gestão de tanques que temos em nossas casas que acabam por ser o habitar dos mosquitos”.

Declarou que urge a necessidade, nesta fase, de observar estas medidas, mas também o uso de redes mosquiteiras e quem tiver acesso a repelentes também deve fazer o seu uso”, aconselhou.

A permanência das pessoas em casa, a observância do isolamento social, lavar frequentemente as mãos com água e sabão, usar a máscara em locais indicados e cumprir as medidas do estado de emergência são as formas de protecção relembradas por Franco Mufinda.

Por outro lado, disse que o laboratório processou, até a data presente, 6.353 amostras, das quais 48 tiveram resultado positivo, 5.803 negativas e 502 se encontram em processamento.

Franco Mufinda fez saber que em todo o país 798 pessoas encontram- se em quarentena institucional e nas últimas 24 horas 60 pessoas receberam alta, sendo 53 na província de Luanda, duas em Malanje, e duas no Cuando Cubango.

Entretanto, os casos suspeitos registados e investigados até ao momento são 438, enquanto os contactos sob vigilância até agora somam 1.111.

Recordar que dos infectados, 21 são casos de transmissão local e os demais importados, envolvendo angolanos e estrangeiros.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) registou, nas últimas 24 horas, 45 chamadas, entre as quais duas de alerta de casos suspeitos que foram reportados e investigados, mas descartados por não reunirem os pressupostos de casos suspeitos de Covid-19. Houve ainda 43 pessoas a solicitar informações sobre a Covid-19.

O secretário de Estado para a Saúde Pública informou que as províncias do Bengo, Benguela, Cuando Cubango, Huambo e Huíla realizaram, ontem, campanhas de sensibilização da população sobre as medidas que devem ser observadas, a fim de combater e prevenir a Covid-19.

Nas aludidas províncias foram igualmente realizadas buscas activas de casos na comunidade e procedeu-se também à desinfecção de locais públicos.

Mais de 200 amostras processadas em algumas províncias

Franco Mufinda informou que durante os últimos dias chegaram a Luanda amostras de algumas províncias, num acumulado de mais de 200, que foram processadas e os resultados de todas é negativo.

Entretanto, explicou que a província do Namibe enviou seis amostras, Cabinda 18, Benguela 78, Malanje 26, Uíge duas, Cuanza- Sul 11, Huambo 57 e Lunda- Norte três, totalizando 201 amostras enviadas a Luanda e processadas.

Por outro lado, garantiu que as unidades sanitárias de consulta pré-natal continuam a funcionar, sendo importante que toda a mulher ao longo da gestação realize as quatro consultas e leve a criança para poder completar o seu calendário vacinal, bem como outras consultas que são essenciais.

Para prevenir a proliferação do novo Coronavírus e combater a Covid-19, Angola observa, desde as 00 horas do dia 11 e até 25 de Maio, um novo período de estado de emergência de 15 dias, com limitação de direitos, que se iniciou a 27 de Março.

error: Content is protected !!