Associação Jucarente garante “pão à mesa” para duas mil famílias

O projecto comunitário “Pão à Mesa” chega aos municípios de Talatona e Belas nesta semana e pretende distribuirkits para o pequeno-almoço (ou mata-bicho) a famílias carenciadas. A meta é atingir mil famílias em cada município, segundo o coordenador-geral da associação Jucarente (responsável pelo projecto), José Gombo

A Associação Juvenil de Apoio aos Jovens Comunitários (Jucarente), no âmbito do seu objecto social e juntando-se à luta contra a pobreza e a fome, procedeu ao lançamento do projecto “pão à mesa” que será desenvolvido em seis municípios da capital do país. Até o momento, dois municípios beneficiaram das doações, nomeadamente o de Luanda (Maianga e Cassequel) e o de Cacuaco (bairros do Forno de Cal e dos Pescadores).

O coordenador-geral da Jucarente, José Gombo, afirmou que o projecto segue para os municípios de Talatona e Belas, onde preveem entregar, a duas mil famílias, cestas para o pequeno-almoço.

Uma cesta pode servir para garantir o pequeno-almoço de até sete pessoas, e é composta por pães, café ginga (3 em 1) e uma garrafa de água pura de cinco litros.

A iniciativa segue para os municípios do Cazenga e Viana e para o êxito da campanha foram formados 90 voluntários, pelo que cada localidade tem os seus respectivos colaboradores que já identificaram as famílias vulneráveis.

Segundo José Gombo a equipa em serviço está a identificar mais pessoas que vivem em situações de maior vulnerabilidade. “Em Cacuaco, detectamos um idoso que não consegue andar e precisa de assistência. A responsável para área social tomou nota, no sentido de fazer chegar a preocupação às entidades e instituições de direito, para dar o devido tratamento”, exemplificou.

A algumas situações pontuais que vão surgindo, a associação consegue dar o devido apoio, com ajuda dos seus parceiros, como a entrega de cadeiras de rodas para alguns jovens que necessitam deste meio para se locomoverem.

“Numa primeira fase, almejávamos entregar o pequeno-almoço a 100 famílias vulneráveis, mas no terreno verificamos que a necessidade é maior, pois ao darmos num grupo que consideramos vulnerável, o outro aparecia dizendo que também não tem o que comer. Tivemos que abrir as mãos para estes também”, sublinhou.

Em cada município a Jucarente fica uma semana a distribuir o kit, mas há casos que acabam ficando mais tempo, dada a dificuldade por que passa a população e a necessidade desta ajuda. Para além da entrega do kit, o projecto serve também para mobilização e sensibilização das comunidades sobre o combate e prevenção da Covid-19, que é feita com um carro alegórico, bem como a identificação de pessoas com necessidades especiais para posterior ajuda.

O projecto conta com o apoio da Refriango, 4JM Luxy, ALCEA, Quinta Alegria, AL & DH, café Ginga, El Shafa e outras instituições. Surge como resposta ao apelo do Estado sobre a solidariedade social nesta fase da Covid- 19.

error: Content is protected !!